Enviado da ONU expressa preocupação com novos confrontos no norte do Líbano

Derek Plumbly disse que a atual suspensão temporária da violência em Trípoli não é suficiente e que soluções de segurança e econômicas de longo prazo ainda são necessárias.

Refugiados sírios em um centro de registro da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) na aldeia de Jeb Janeen, Vale de Bekaa, no Líbano. Foto: ACNUR/S. Malkawi

Refugiados sírios em um centro de registro da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) na aldeia de Jeb Janeen, Vale de Bekaa, no Líbano. Foto: ACNUR/S. Malkawi

O principal funcionário das Nações Unidas no Líbano expressou na quinta-feira (31) grave preocupação com a recorrência de confrontos armados na cidade de Trípoli, destacando a necessidade de uma solução de longo prazo para acabar com a violência.

De acordo com relatos da imprensa, uma série de confrontos entre partidários e opositores do presidente sírio, Bashar al-Assad, eclodiram na semana passada na cidade que fica no norte do Líbano e continuaram durante o fim de semana, matando 17 pessoas e ferindo mais de 100.

O coordenador especial da ONU para o Líbano, Derek Plumbly, elogiou a restauração da calma na segunda maior cidade do país, mas acrescentou que a suspensão temporária da violência não é suficiente e que soluções de segurança e econômicas de longo prazo ainda são necessárias.

“Plumbly incentivou todos os lados a respeitar e cooperar com as instituições do Estado, particularmente as autoridades de segurança, que têm um peso significativo ao trabalharem para manter o Líbano a salvo do impacto da crise na vizinha Síria”, disse o porta-voz da ONU, Martin Nesirky, a jornalistas em Nova York.

Plumbly também ofereceu suas condolências pela recente perda de vidas.