Enviado da ONU elogia avanço no processo de reconciliação nacional em Mianmar

Negociações de paz em Kachin foram marcadas pelo primeiro encontro no país entre as organizações étnicas armadas e o governo em décadas.

Dois soldados vigiam uma barragem chinesa no norte do estado de Kachin, onde mais de 85 mil pessoas foram deslocadas por causa do conflito. Foto: IRIN/Steve Sandford

Dois soldados vigiam uma barragem chinesa no norte do estado de Kachin, onde mais de 85 mil pessoas foram deslocadas por causa do conflito. Foto: IRIN/Steve Sandford

Enviado das Nações Unidas parabenizou nesta terça-feira (5) as partes envolvidas nas negociações de paz de Kachin. As reuniões desta semana, segundo o enviado, foram “um avanço significativo” no processo de reconciliação nacional de Mianmar.

Após um acordo em outubro entre a Organização da Independência de Kachin e o governo de Mianmar, um diálogo foi realizado em 4 e 5 de novembro entre o governo e os grupos étnicos armados em Myitkyina, a capital do estado de Kachin.

“O encontro em Myitkyina foi a primeira reunião entre as organizações étnicas armadas e o governo em décadas e, como tal, representa um avanço significativo no processo de reconciliação nacional”, disse o assessor especial da ONU sobre Mianmar, Vijay Nambiar, que participou como observador nas negociações.

Em janeiro, o governo anunciou um cessar-fogo unilateral após uma ofensiva de três semanas contra rebeldes de etnia Kachin.

Em maio, o governo e a Organização da Independência de Kachin chegaram a um acordo de sete pontos, no qual se comprometeram, entre outras medidas, a estabelecer um diálogo político e realizar discussões para reassentar mais de 75 mil pessoas que foram deslocadas desde que a luta começou, há quase dois anos.

“As Nações Unidas continuarão ajudando e apoiando o povo de Mianmar enquanto o país continua em seu caminho em direção à paz e à democracia”, acrescentou Nambiar.