Enviado da ONU diz que ISIL está enfraquecido, mas não foi totalmente derrotado

A vitória militar contra o Estado Islâmico do Iraque e do Levante (ISIL/Da’esh) é apenas um componente de uma batalha complexa que aborda as causas profundas da ideologia extremista, disse o enviado das Nações Unidas para o Iraque.

Ján Kubiš, representante especial do secretário-geral e chefe da Missão de Assistência da ONU no Iraque (UNAMI), fala ao Conselho de Segurança. Foto: ONU/Kim Haughton

Ján Kubiš, representante especial do secretário-geral e chefe da Missão de Assistência da ONU no Iraque (UNAMI), fala ao Conselho de Segurança. Foto: ONU/Kim Haughton

A vitória militar contra o Estado Islâmico do Iraque e do Levante (ISIL/Da’esh) é apenas um componente de uma batalha complexa que aborda as causas profundas da ideologia extremista, disse o enviado das Nações Unidas para o Iraque na quarta-feira (22).

“O ISIL/Da’esh continua sendo capaz e está determinado a continuar os ataques aleatórios devastadores contra a população civil iraquiana, contra civis no mundo”, disse Ján Kubiš, representante especial do secretário-geral e chefe da Missão de Assistência da ONU no Iraque (UNAMI), ao Conselho de Segurança da organização.

O enviado afirmou que o ISIL está enfraquecido, porém ainda não foi completamente derrotado, apontando que será necessário lidar com as causas da ideologia extremista para que o grupo seja totalmente vencido.

Em 17 de novembro, as forças de segurança do Iraque retomaram a cidade de Rawa, a última área sob o controle de Da’esh no Iraque. A vitória, no entanto, teve altos custos. Milhares de civis foram mortos ou feridos, cidades inteiras foram destruídas e milhões de pessoas foram deslocadas.

Kubiš incentivou a coalizão global contra o Da’esh a continuar os esforços militares e não militares para ajudar o Iraque a garantir a derrota duradoura e sustentável de grupo extremista.

O enviado destacou que, no Iraque, o retorno voluntário de pessoas deslocadas internamente deve ser priorizado, bem como sua reabilitação e recuperação. Também é crucial reformar o setor de segurança e suprimir grupos armados fora do controle do Estado.

Tensões entre o governo regional do Curdistão e o governo central

Ján Kubiš afirmou que entre as principais preocupações atuais estão as tensões entre o governo central e o governo regional do Curdistão. As tensões derivaram de uma decisão do governo regional do Curdistão do Iraque de realizar um referendo de independência declarada unilateralmente.

As autoridades centrais rejeitaram o referendo como inconstitucional e tomaram medidas para reafirmar autoridade federal sobre os cruzamentos das fronteiras externas do Iraque, incluindo os aeroportos internacionais na região do Curdistão do Iraque.

Todas as tensões políticas devem ser resolvidas através de soluções sustentáveis baseadas na constituição, enfatizou o enviado especial, observando que a UNAMI também pediu negociações imediatas com representantes do governo sobre questões como orçamento, salários e exportações de petróleo.