Enormes quantidades de perdas pós-colheita aumentam a fome

Agricultores que perdem até metade de suas colheitas durante a coleta agravam a situação dos famintos, mas investimentos adequados e treinamento poderiam acabar com essas perdas.

Agricultores que perdem até metade de suas colheitas durante a coleta agravam a situação dos famintos, mas investimentos adequados e treinamento poderiam acabar com essas perdas.

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) disse que chuvas excessivas, secas, temperaturas extremas, contaminação por micro-organismos, e coleta prematura estão entre as causas para estas perdas pós-colheita, que estimativas calculam podem variar entre 15 e 50% do que é produzido.

A remoção de grande parte do abastecimento de alimentos dos mercados resulta em preços altos, bem como danos evitáveis para o meio-ambiente uma vez que terras, água, trabalho humano e recursos não-renováveis, como fertilizantes e energia são usados para produzir, processar, manipular e transportar alimentos que ninguém come.

Instalações de armazenamento inseguras e inadequadas em muitos países em desenvolvimento é outro grande problema no qual a FAO, em colaboração com doadores, pode fazer a diferença, como visto em um projeto afegão que deu silos de metal para armazenamento para mais de 18.000 casas.

Perdas pós-colheitas foram reduzidas através da melhoria das instalações de armazenamento e ajudando funileiros locais na fabricação de silos hermeticamente fechados, que protegiam os alimentos de pragas, roedores, pássaros e fungos e permitiu que a produção fosse mantida por longos períodos sem perda de qualidade.

Em muitos países em desenvolvimento, os materiais necessários para construir os silos são inacessíveis para agricultores pobres. A FAO consequentemente estabeleceu um esquema de financiamento para ajudar pequenos produtores a conseguirem recipientes de armazenamento melhores.

Também em mercados no Ocidente as perdas pós-colheita apresentam um problema, uma vez que se frutas ou vegetais estão machucados, murchos, imaturos, disformes, de tamanho incorreto ou com uma aparência ruim, não serão colocadas nas prateleiras. Como existe uma ausência de mercados alternativos para esses produtos, eles são jogados fora.