Energia acessível e confiável requer verdadeira vontade política, afirma Ban Ki-moon

A falta de vontade política é o verdadeiro obstáculo para garantir o acesso de todos a fontes confiáveis de energia em sua vida diária, disse o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, durante um evento paralelo à Cúpula das Nações Unidas que discute os progressos frente aos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM).

Energia acessível e confiável requer verdadeira vontade política, afirma Ban Ki-moon. Foto ONUA falta de vontade política é o verdadeiro obstáculo para garantir o acesso de todos a fontes confiáveis de energia em sua vida diária, disse o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, durante um evento paralelo à Cúpula das Nações Unidas que discute os progressos frente aos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM). Ban destacou que o acesso universal à energia deve ser um item prioritário na agenda dos líderes mundiais e pediu para que os países trabalhem juntos no objetivo de fornecer o financiamento, as tecnologias e as parcerias necessárias.

Pelo menos 1,6 bilhão de pessoas no mundo atualmente vive sem acesso à eletricidade, enquanto muitas outras têm acesso intermitente ou inadequado. Sublinhando que a falta de acesso reduz o crescimento econômico, dificulta a erradicação da pobreza e afeta a educação, saúde e outros serviços essenciais, Ban Ki-moon sublinhou que este problema obstaculiza os progressos de todos os ODMs.

O Grupo Consultivo sobre Energia e Mudanças Climáticas do Secretário-Geral estabeleceu uma meta de acesso à energia universal e uma duplicação da taxa de aumento da eficiência energética, ambos para 2030. “Devemos aplicar financiamento, tecnologia compartilhada e melhores práticas em nível global. Em particular, os governos precisam criar uma plataforma política estável e previsível para o que o setor privado invista em tecnologias de baixo carbono e no fornecimento de energia a preços acessíveis para as pessoas pobres do campo”, afirmou o Secretário-Geral.