Encontro global debate relação entre mundo digital e melhoria dos serviços sociais

Conferência vê novo impulso para capacitar o consumidor e colocar as necessidades de desenvolvimento social e humano na vanguarda das tecnologias de informação e comunicação.

Segundo dia do evento. Foto: ITU

Segundo dia do evento. Foto: ITU

O crescimento e a importância das tecnologias de informação e comunicação (TIC) representam desafios cada vez maiores para os reguladores e responsáveis por políticas, cujas decisões terão uma influência crucial na forma em que as os dados digitais serão controlados no futuro.

Sob o tema “Capitalizando sobre o potencial do mundo digital”, mais de 700 especialistas se reuniram no Simpósio Global de Reguladores, realizado no Barein, entre os dias 3 e 5 de junho, para analisar formas de garantir que todos os cidadãos tenham acesso ao benefícios do mundo digital de uma maneira informada, ágil e segura.

Uma realidade que só pode ser alcançada através de uma regulação eficaz e inteligente voltada para capacitar os consumidores, redefinir as responsabilidades e criar as condições para uma economia de dados orientada a florescer.

A conferência abordou como o rápido crescimento mundial de armazenamento de dados, gerado por sensores de alta tecnologia, interações humanas na web, e-mails e redes sociais, e como a comunicação entre computadores está criando uma série de novas oportunidades de negócios, assim como preocupações com privacidade e uso de dados pessoais por terceiros.

Liderando a discussão sobre “big data” – ou “mega dados”, em português, tecnologia de armazenamento em massa de dados em alta velocidade – o coautor do documento de reflexão “Big data – Oportunidade ou ameaça?”, Andrew Haire, lembrou aos participantes que 90% dos dados mundiais foram coletados nos últimos dois anos. Com o custo do armazenamento baixo neste momento, a tendência de armazenamento em longo prazo criará um novo potencial para melhorar os serviços sociais em áreas como epidemiologia, gestão ambiental e resposta a catástrofes.

No entanto, o debate expôs a preocupação com a proteção de privacidade e o excesso de concentração do mercado de coleta de dados por monopólios poderosos. Uma das conclusões da conferência nesse sentido atribui aos reguladores um papel mais ativo na determinação de acordos que promovam os benefícios do “big data” ao mesmo tempo que exerçam cautela na proteção das preocupações legítimas dos consumidores.

A capacitação do consumidor e a necessidade de compartilhar recursos também foram temas-chave do Simpósio, onde reguladores enfatizaram a importância social de diminuir os custos e garantir o acesso às tecnologias de comunicação e informação.

Evento foi no Barein. Foto: ITU/I.Wood

Evento foi no Barein. Foto: ITU/I.Wood

De acordo com o presidente do Simpósio, Mohammed Alamer, o encontro permitiu identificar medidas para proteger os direitos dos consumidores de telecomunicações e TIC sem asfixiar a inovação, o que permitirá aumentar a experiência do consumidor de viver em um ambiente digital competitivo, seguro e confiável.

O grupo de reguladores do Simpósio detectou as seguintes áreas de política pró-ativa e medidas regulatórias: redefinir a necessidade de proteção do consumidor ao longo da cadeia de valor desde redes TIC até aplicativos e serviços; identificar prioridades e responsabilidades dos parceiros (governo, indústria e consumidores) no meio digital; expansão do mandato regulador e medidas de controle para assegurar a proteção efetiva dos consumidores em um meio de convergência digital, principalmente ao tratar-se de privacidade, proteção de dados, proteção contra fraudes e mau uso”.

Participantes também debateram a necessidade de aumentar os espectros de radiofrequência para aliviar uma “crise de espectro” e apoiar um crescimento de leque de serviços sem fio.

Eles destacaram também a importância de uma alocação de espectro confiável que ofereça retorno de investimento para os agentes TIC e qualidade de serviço, estimulando os reguladores a estar abertos para a evolução enquanto asseguram a proteção dos serviços existentes.

Saiba mais sobre o Simpósio clicando aqui.