Encontro do UNFPA em Roraima reúne adolescentes migrantes para debater câncer de mama

Em outubro, mês em que no mundo todo acontecem atividades de conscientização sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) no Brasil promoveu um encontro para falar do assunto entre adolescentes migrantes vivendo no norte do país.

A atividade aconteceu em Roraima, no abrigo São Vicente, um espaço criado pela Operação Acolhida que é a iniciativa do governo federal responsável por coordenar a resposta e atendimento às pessoas refugiadas e migrantes que chegam ao país oriundas da Venezuela.

Promovido em parceria com a Associação Voluntários para o Serviço Internacional Brasil (AVSI Brasil), o encontro visou sensibilizar as jovens sobre a importância de fazer o autoexame como uma medida preventiva em relação à doença.

Fundo de População da ONU em Roraima impulsiona debate sobre saúde sexual, reprodutiva e direitos em abrigo de Roraima. Foto: UNFPA Brasil | Yareidy Perdomo.

Fundo de População da ONU em Roraima impulsiona debate sobre saúde sexual, reprodutiva e direitos em abrigo de Roraima. Foto: UNFPA Brasil | Yareidy Perdomo.

Neste mês, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) no Brasil realizou um encontro sobre saúde sexual, reprodutiva e direitos com mulheres adolescentes no abrigo São Vicente da Operação Acolhida, em Boa Vista, Roraima.

A atividade foi realizada em parceria com a Associação Voluntários para o Serviço Internacional Brasil (AVSI Brasil), responsável pela gestão e coordenação do abrigo, e abordou a maneira de como fazer o autoexame das mamas e a importância de identificar os sintomas e sinais da doença.

O encontro ocorreu no contexto de um período marcado por ações globais em que se discute a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama, o Outubro Rosa.

Promoção da autonomia e da saúde sexual e reprodutiva das mulheres migrantes

Reforçando seu apoio humanitário na resposta ao fluxo migratório em Roraima, o UNFPA promoveu duas atividades com jovens refugiadas e migrantes vindas da Venezuela.

Comentando a atividade, Leila Rocha, especialista em saúde sexual e reprodutiva do UNFPA em Roraima, aludiu ao trabalho do Fundo de População da ONU em promover a autonomia das mulheres em relação aos cuidados com a saúde.

“A intenção é sensibilizar as jovens sobre a importância de fazer o exame de toque e a prevenção do câncer de mama, e para que elas possam ser também multiplicadoras entre suas amigas, familiares e colegas”, comentou a especialista.

A jovem Gênesis Medina, que participou das atividades no abrigo, elogiou o espaço criado pelo UNFPA para as jovens falarem sobre saúde sexual e reprodutiva e receber orientações.

Segundo ela, atividades como a promovida no âmbito do Outubro Rosa são importantes para as adolescentes permanecerem informadas.

“Às vezes, em nosso círculo de pessoas não tem ninguém que possa nos orientar”, apontou. “Nós precisamos falar sobre esses temas com pessoas que possam nos orientar e possam responder dúvidas, que são muito mais frequentes na nossa idade”, concluiu a jovem.