Enchentes atingem Chade, Timor-Leste e Paquistão; ONU apoia ações humanitárias

Cerca de 2,5 mil famílias receberam cobertores, colchões e lençóis plásticos até o momento no Chade. No Timor-Leste, a missão de paz das Nações Unidas no país está distribuindo suprimentos de emergência para as comunidades no sudoeste. No Paquistão, onde a situação é mais grave, diversas agências da ONU estão correndo contra o tempo – e contra o clima.

Mulher no campo de refugiados Ouré Cassoni, na região oriental do Chade. Foto: ONU.A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) está fornecendo assistência emergencial a milhares de vítimas das enchentes no Chade, país localizado no centro-norte da África, onde vilarejos inteiros foram destruídos e as terras cultivadas foram arruinadas pela pior chuva no país em 40 anos.

Cerca de 2,5 mil famílias receberam cobertores, colchões e lençóis plásticos até o momento. O apoio faz parte de auxílios mais amplos envolvendo o governo do Chade, outras agências humanitárias das Nações Unidas e organizações não-governamentais. Grandes áreas do Chade foram atingidas pelas enchentes, com quase nove mil pessoas afetadas. A ajuda também foi prejudicada pelo mau estado das estradas do país – muitos veículos humanitários foram arrastados pela fúria das águas e algumas áreas permanecem cortadas pelas inundações.

Ajuda humanitária chega ao Timor-Leste por meio de um helicóptero das Nações Unidas. Foto: ONU.No Timor-Leste, a missão de paz das Nações Unidas no país (UNMIT) está distribuindo suprimentos de emergência para as comunidades no sudoeste que foram atingidas pelas enchentes recentes.

Arroz, utensílios de cozinha e mosquiteiros estão entre os itens a serem transportados por helicóptero para o distrito de Covalima, a região mais atingida, de acordo com um comunicado de imprensa divulgado hoje (13) pela UNMIT. Mais de meia tonelada de arroz foi distribuída para a população necessitada nas últimas duas semanas. A missão continuará ajudando o governo – que está liderando o esforço humanitário – a entregar suprimentos àqueles que precisam.

Crianças deslocadas esperam por mantimentos no acampamento em Jalozai. Foto: ONU.No Paquistão, diversas agências da ONU estão correndo contra o tempo – e contra o clima – de modo a chegar ao máximo de pessoas, entre as 14 milhões afetadas pelas recentes inundações. O trabalho é intensificado com a ameaça de mais chuvas em grande parte da nação sul-asiática.

“As agências estão acelerando a sua resposta à crise”, afirmou Elisabeth Byrs do Escritório das Nações Unidas de Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA) a jornalistas em Genebra. Ela observou que 20% dos cerca de 460 milhões dólares solicitados pela ONU e seus parceiros para ajudar o Paquistão a combater as necessidades das famílias afetadas pelas cheias foi recebido até agora. Saiba mais sobre a situação do Paquistão clicando aqui.