Empoderamento feminino reforça desenvolvimento verdadeiramente inclusivo e sustentável, avalia ONU

Em evento em Viena, Fórum de Energia lembra que pobreza energética atinge mulheres desproporcionalmente. Maior participação das mulheres em processos decisórios pode ajudar a alterar esse cenário.

O acesso universal a serviços energéticos modernos é realizável até 2030. Não existem barreiras técnicas fundamentais e comprovadas, e existem soluções inovadoras. Foto: PNUD

O acesso universal a serviços energéticos modernos é realizável até 2030. Não existem barreiras técnicas fundamentais e comprovadas, e existem soluções inovadoras. Foto: PNUD

Uma das principais mensagens do Fórum de Energia de Viena 2015 (VEF) é que a energia sustentável e o empoderamento das mulheres reforçam mutuamente os objetivos que são essenciais para o desenvolvimento verdadeiramente inclusivo e sustentável.

Durante os três dias do encontro, entre 18 e 20 de junho, a energia sustentável foi reconhecida como uma valiosa conexão que liga a agenda de desenvolvimento sustentável com a ação climática e houve consenso de que a igualdade de gênero deve ser o que entrelaça todos os componentes mais fortes.

A Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (ONUDI) apoiou o evento e reafirmou seu forte compromisso e de seus parceiros para a integração do gênero em todas as iniciativas de energia. Além disso, reiterou o papel de catalisador das mulheres na produção e consumo de energia sustentável.

O documento final do VEF relata que a pobreza energética atinge mulheres desproporcionalmente devido à dependência doméstica sobre os biocombustíveis, os papéis de gênero tradicionais e os problemas de saúde relacionados à questão. Evidências mostram que o acesso à energia sustentável pode fornecer oportunidades para empoderamento econômico das mulheres e avanço na igualdade de gênero.