Emboscada contra forças de paz da ONU na República Centro-Africana deixa dois mortos

Outros dois integrantes das forças de paz foram feridos, um deles em estado grave. O representante da ONU no país ressaltou que “todos os esforços” serão feitos para rastrear os responsáveis e levá-los à justiça, acrescentando que a presença da ONU visa a acabar com o ciclo de violência na República Centro-Africana.

Marroquinos integrantes das forças de paz atuando na missão da ONU na República Centro-Africana (MINUSCA). Foto: ONU / Catianne Tijerina

Marroquinos integrantes das forças de paz atuando na missão da ONU na República Centro-Africana (MINUSCA). Foto: ONU / Catianne Tijerina

A missão de paz das Nações Unidas na República Centro-Africana condenou nessa quarta-feira (4) uma emboscada mortal contra um comboio na região sudeste do país. O ataque deixou dois capacetes-azuis de Marrocos mortos e feriu outros dois.

“Nenhuma reivindicação pode justificar que indivíduos dirijam seus ataques contra os pacificadores cuja presença [aqui] não tem outro objetivo senão ajudar o país a acabar com este ciclo de violência”, alertou o representante especial do secretário-geral da ONU no país, Parfait Onanga-Anyanga.

Onanga-Anyanga, que também é chefe da missão da ONU no país, acrescentou que “todos os esforços” serão feitos para rastrear os responsáveis e levá-los à justiça. Um ataque a uma força de paz pode constituir um crime de guerra, acrescentou ele.

De acordo com a MINUSCA, o ataque ocorreu a aproximadamente 60 quilômetros a oeste de Obo. O comboio estava indo para a cidade após abastecer em Zemio, quando insurgentes desconhecidos os surpreenderam, mataram dois pacificadores e escaparam para a floresta em seguida.

Falando ao centro de notícias da ONU de Bangui, o porta-voz da MINUSCA, Vladimir Monteiro, disse que os dois soldados de paz feridos estão recebendo tratamento, sendo um deles por ferimentos graves.