Embaixador da Irlanda visita projeto da ONU que acolhe migrantes em Manaus

O Embaixador da Irlanda no Brasil, Sean Hoy, visitou a Casa Miga em Manaus e disse que levará o exemplo do projeto da Operação Acolhida para outros integrantes da comunidade diplomática.

A Casa Miga abriu as portas em agosto de 2018, coordenada pela organização não-governamental Manifesta LGBTQ+, com apoio do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e da União Europeia.

Com capacidade para 16 pessoas, o local é o abrigo de referência para o acolhimento de pessoas da comunidade LGBTI em Manaus.

Embaixador da Irlanda no Brasil, Sean Hoy, visita Casa Miga em Manaus - Foto: Yareidy Perdomo/UNFPA

Embaixador da Irlanda no Brasil, Sean Hoy, visita Casa Miga em Manaus – Foto: Yareidy Perdomo/UNFPA

O Embaixador da Irlanda no Brasil, Sean Hoy, visitou a Casa Miga em Manaus e disse que levará o exemplo do projeto da Operação Acolhida para outros integrantes da comunidade diplomática. Ele conversou com pessoas refugiadas e migrantes da Venezuela e Cuba, que relataram a integração no Brasil e as dificuldades para conseguir emprego e acessar alguns serviços, em consequência da discriminação contra a população LGBTI, além do preconceito por serem estrangeiros.

A Casa Miga abriu as portas em agosto de 2018, coordenada pela organização não-governamental Manifesta LGBTQ+, com apoio do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e da União Europeia. Com capacidade para 16 pessoas, o local é o abrigo de referência para o acolhimento de pessoas da comunidade LGBTI em Manaus. Atualmente, 11 pessoas estão abrigadas – sete venezuelanas e quatro cubanas.

O Fundo de População das Nações Unidas realiza ações de apoio para a população LGBTI dentro da Casa Miga, promovendo a disseminação de informações com relação aos direitos e ao acesso a serviços de saúde no Brasil, assim como a promoção da resiliência comunitária e a integração.

Desde 2017, o Fundo de População da ONU tem trabalhado na ampliação da resposta humanitária ao fluxo migratório proveniente da Venezuela, atuando em Roraima e Manaus.