Em visita a SP, chefe da OMC defende maior integração do Brasil no comércio internacional

O diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), Roberto Azevêdo, visitou São Paulo (SP) esta semana para participar de uma série de eventos que discutiram a importância das políticas de abertura comercial e de um sistema de comércio baseado em regras para promover a competitividade da economia brasileira.

Esses eventos incluíram o lançamento da iniciativa “O Brasil Quer Mais”, liderada pela Câmara de Comércio Internacional (ICC Brasil), que pretende mobilizar o setor empresarial e o governo brasileiro em torno da abertura comercial como caminho para o crescimento econômico.

“A maior integração comercial pode trazer muitos benefícios ao Brasil. A OMC pode ter um papel muito importante aqui — tanto como uma plataforma para resolver disputas quanto para negociar novas regras que possam melhorar a integração do Brasil à economia mundial”, declarou.

Durante visita a São Paulo, o diretor-geral da OMC disse que políticas de abertura comercial são vitais para impulsionar competitividade. Foto: OMC

Durante visita a São Paulo, o diretor-geral da OMC disse que políticas de abertura comercial são vitais para impulsionar competitividade. Foto: OMC

O diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), Roberto Azevêdo, visitou São Paulo (SP) esta semana para participar de uma série de eventos que discutiram a importância das políticas de abertura comercial e de um sistema de comércio baseado em regras para promover a competitividade da economia brasileira.

Esses eventos incluíram o lançamento da iniciativa “O Brasil Quer Mais”, liderada pela Câmara de Comércio Internacional (ICC Brasil), que pretende mobilizar o setor empresarial e o governo brasileiro em torno da abertura comercial como caminho para o crescimento econômico.

“O comércio está no topo da agenda brasileira hoje e o país está adotando uma postura cada vez mais ambiciosa em sua política comercial. Isso é muito encorajador. Políticas de abertura comercial são vitais para aumentar a competitividade”, declarou Azevêdo.

“A história mostra que não há caso de sucesso econômico e de forte desenvolvimento sem comércio internacional. Não tenho dúvidas de que a economia brasileira continuará voltada para o exterior, pronta para competir e sintonizada com o que está acontecendo no cenário internacional.”

“A maior integração comercial pode trazer muitos benefícios ao Brasil. A OMC pode ter um papel muito importante aqui — tanto como uma plataforma para resolver disputas quanto para negociar novas regras que possam melhorar a integração do Brasil à economia mundial”, disse.

Segundo ele, para isso, a OMC está trabalhando para melhorar o funcionamento da Organização e para avançar nas negociações. “Todas as conversas estão em andamento, com um grande foco na reforma dos subsídios à pesca, bem como em outras questões fundamentais, como apoio doméstico na agricultura, segurança alimentar e regulamentação doméstica dos serviços, e muitos outros.”

Azevêdo declarou ainda que membros da OMC — incluindo o Brasil — estão abordando temas que, segundo ele, são de crescente importância econômica, como pequenas empresas, comércio eletrônico, facilitação de investimentos e empoderamento econômico das mulheres.

“Embora nem todos os membros estejam engajados nesse trabalho, ele está claramente evoluindo rapidamente. Por isso, acho que há um leque de oportunidades para o Brasil no horizonte. Trabalhando juntos, podemos continuar a alavancar a política comercial para promover o crescimento, a criação de empregos e o desenvolvimento no Brasil e em todo o mundo.”

O diretor-geral da OMC também participou na terça-feira (19) da SEB Nordic CEO Conference 2019 e na quarta-feira (20) do 19º Seminário de Comércio Exterior organizado pelo Instituto Brasileiro de Estudos de Concorrência, Consumo e Comércio Internacional (IBRAC). Durante a visita, Azevêdo reuniu-se com o governador de São Paulo, João Dória, e com representantes empresariais.


Comente

comentários