OMS confirma: não há novos casos de ebola na Libéria

De acordo da atualização desta semana, foram registrados 26 novos casos do vírus, sendo metade deles nas capitais da Guiné e Serra Leoa, elevando o número de mortes para 11.269.

OMS ajuda comunidades da Guiné a lutar contra o ebola. Foto: OMS / P. Haughton

OMS ajuda comunidades da Guiné a lutar contra o ebola. Foto: OMS / P. Haughton

Não foi registrado nenhum novo caso de ebola na Libéria, nem em áreas de maior contágio  na África Ocidental. Segundo a atualização desta semana da Organização Mundial da Saúde (OMS), metade dos novos 26 casos é proveniente das capitais da Guiné e Serra Leoa, elevando o número de pessoas que morreram da doença para 11.269.

De acordo com a agência da ONU, na Libéria, onde o ebola ressurgiu depois do país ter sido declarado livre da doença em maio, desde 21 de julho 56 contatos associados com a cadeia de transmissão estão sob acompanhamento. “Se não houver novos casos, todos os contatos terão seus acompanhamentos concluídos em 2 de agosto”, disse a agência de saúde da ONU.

A origem dos novos casos na Libéria continua sob investigação e “a evidência preliminar de sequenciamento genômico sugere que a origem mais provável de transmissão é um ressurgimento do vírus a partir de um sobrevivente dentro da Libéria, ao invés de uma importação da Guiné ou Serra Leoa”.

Alguns pontos preocupantes como Kambia, em Serra Leoa, e Boke, na Guiné, região fronteiriça com a Guiné-Bissau, não apresentaram novos casos em nove e 18 dias, respectivamente. No entanto, a Organização observou que dois novos agentes de saúde foram infectados nestes dois países, elevando o número para 849 contágios e 510 mortes desde o começo da epidemia.