Em SP, agências da ONU debatem migração de venezuelanos para o Brasil

Exposição fotográfica no Museu da Imigração aborda chegada de venezuelanos às cidades de Pacaraima e Boa Vista, em Roraima. Foto: Museu da Imigração

No Museu da Imigração, em São Paulo (SP), agências da ONU participaram na última sexta-feira (8) de uma jornada de conscientização sobre os desafios vividos por venezuelanos no Brasil. O dia de atividades teve lançamento de livro, inauguração de mostra fotográfica e seminário sobre fluxos migratórios na América Latina.

Durante o encontro de especialistas, a assessora para Assuntos Humanitários do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), Irina Bacci, explicou como o organismo tem prestado assistência aos estrangeiros que chegam da Venezuela ao estado de Roraima. Desde 2015, a agência trabalha na resposta local à violência de gênero e às necessidades de saúde sexual e reprodutiva, além de atuar na promoção dos direitos humanos.

“Em 2018, foram cerca de 14 mil pessoas atendidas em diferentes ações do UNFPA. É fundamental que as organizações e as agências das Nações Unidas no Brasil trabalhem conjuntamente nessa ação para atender de maneira digna e humanitária essas milhares de pessoas que chegam ao Brasil em busca de novas oportunidades”, explicou a especialista no seminário.

O UNFPA coordena as intervenções da ONU em casos de abuso sexual e de gênero. A instituição também promove iniciativas de resiliência comunitária, comunicação e informação, articulação política e fortalecimento das capacidades de organismos do governo.

Realizado pelo Observatório das Migrações em parceria com o Núcleo de Estudos de População “Elza Berquó” (NEPO), da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), o seminário teve a participação de outras agências das Nações Unidas que participam das ações humanitárias no Norte do Brasil, como a Organização Internacional para as Migrações (OIM) e a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR). Também estiveram presentes profissionais e pesquisadores do Ministério Público do Trabalho, Defensoria Pública da União, Universidade de Brasília e Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Exposição fotográfica

No mesmo dia, o Museu da Imigração inaugurou a mostra fotográfica La Jornada – A resiliência do povo venezuelano em busca de refúgio no Brasil. As imagens mostram a chegada de famílias venezuelanas refugiadas às cidades de Pacaraima e Boa Vista, em Roraima, em setembro de 2018. A exposição fica em cartaz até 31 de março. Confira o teaser abaixo:

Livro Migrações Venezuelanas

Arte da capa e contracapa do livro apoiado pelo UNFPA. Publicação aborda a migração de venezuelanos para o Brasil e outros países da América Latina em anos recentes. Imagem: UNICAMP/Divulgação

Ainda na sexta-feira, o Núcleo de Estudos de População “Elza Berquó” lançou a coletânea Migrações Venezuelanas, publicada com o apoio do UNFPA. A obra reúne 55 textos sobre os mais recentes deslocamentos de venezuelanos com destino ao Brasil e outros países da América Latina.

O volume recebeu contribuições de 92 especialistas e instituições. Um dos colaboradores é o representante do UNFPA no Brasil, Jaime Nadal, autor de capítulo em que defende que a migração, embora seja vista muitas vezes como um fenômeno negativo, está associada ao desenvolvimento dos países de diferentes formas. O dirigente mostra como a globalização ampliou de maneira significativa a mobilidade do trabalho no mundo.

O livro pode ser acessado em meio online — baixe a publicação clicando aqui.