Em sessão solene ONU lembra 65º aniversário do fim da II Guerra Mundial

As Nações Unidas lembraram nesta quinta-feira, 6 de maio, o 65º aniversário do fim da Segunda Guerra Mundial. Em seu discurso à Assembleia Geral, Ban Ki-moon citou os custos e horrores da guerra. “O custo foi além do cálculo, além da compreensão humana – 40 milhões de civis mortos, 20 milhões de soldados, quase metade da União Soviética. Aqueles foram anos de atrocidades, de perda de fé e humanidade”.

Secretário-Geral Ban Ki-moon, durante sessão especial da Assembleia Geral que lembrou II Guerra Mundial. Foto: UN/Evan Schneider.As Nações Unidas lembraram nesta quinta-feira, 6 de maio, o 65º aniversário do fim da Segunda Guerra Mundial, com uma homenagem à “extraordinária bravura” daqueles que travaram uma “luta épica pela liberdade e pela libertação”.

“É justo, hoje, que comemoramos o fim da guerra, num momento em que as nações estão reunidas para avançar na causa da paz”, afirmou o Secretário-Geral da ONU Ban Ki-moon em sessão comemorativa da Assembleia Geral, citando a Conferência de 2010 para Exame do Tratado de Não-Proliferação de Armas Nucleares (TNP), atualmente em curso. “O Tratado de Não-Proliferação Nuclear também é um documento de esperança, uma visão para um mundo livre de armas nucleares. Obrigado por nos ajudar a lembrar do passado, para que possamos construir melhor nosso futuro”.

Ban Ki-moon, que no mês passado elogiou o acordo entre Rússia e Estados Unidos para reduzir seus arsenais nucleares, disse a repórteres que o progresso estava sendo feito rumo a um futuro livre de armas nucleares. “Estou confiante de que continuaremos a fazê-lo, mesmo porque precisamos”. Em seu discurso à Assembleia Geral, ele citou os custos e horrores da guerra. “Alguns nomes ainda ecoam, mesmo passados muitos anos. Stalingrado e Kursk, Auschwitz e Dachau (campos de extermínio), o Dia D e a batalha final por Berlim”, comentou.

“O custo foi além do cálculo, além da compreensão humana – 40 milhões de civis mortos, 20 milhões de soldados, quase metade da União Soviética. Aqueles foram anos de atrocidades, de perda de fé e humanidade. A Segunda Guerra Mundial foi uma das mais épicas lutas pela liberdade e libertação em toda a história. E, no final, o idealismo teve sua vitória também”. Ele ressaltou que o fim da guerra coincidiu com a conferência de San Francisco que criou a ONU, “uma organização fundada na esperança mais humana que há, o fim do flagelo da guerra”.

O atual presidente da Assembleia, o embaixador do Sudão Abdalmahmoud Mohamad, observou que a comemoração foi um alerta para que os países intensifiquem esforços para resolver todas as disputas por meios pacíficos. “Ao comemorarmos o fim de um dos conflitos mais mortais da história, temos também que refletir sobre o custo humano incomensurável da guerra. Coletivamente, e com a vontade política necessária, podemos reforçar a paz e a segurança internacional em todo o mundo, assim como garantir um futuro melhor para as gerações futuras”.

Embora a Segunda Guerra Mundial tenha persistido na Ásia até agosto de 1945, mesmo após o fim dos conflitos na Europa em maio, a Assembleia Geral decidiu por unanimidade realizar uma sessão solene especial na segunda semana de maio, em memória a todas as vítimas da guerra.