Em Roraima, ONU Mulheres apoia Seminário Estadual de Políticas Públicas

Situação das mulheres, demandas sociais e capacidade de resposta das políticas públicas à igualdade de gênero estiveram em destaque em encontro acadêmico organizado pela Universidade Federal de Roraima, nos dias 27 e 28 de junho, em Boa Vista (RR).

O I Seminário de Políticas Públicas para Mulheres da Cidade, do Campo, das Florestas e das Águas de Roraima reuniu cerca de 250 pessoas. Foi organizado pela Coordenação de Políticas para Mulheres do Estado de Roraima e teve o apoio da ONU Mulheres Brasil e de outras instituições.

O aumento do fluxo de cidadãos e cidadãs da Venezuela para o Brasil desencadeou novas demandas de atuação para a ONU Mulheres no Brasil. Pela primeira vez, a entidade participa de uma ação humanitária no país para apoiar as mulheres na sua retomada de vida por meio do empoderamento e da igualdade de gênero.

Flávia Muniz, da ONU Mulheres Brasil, no I Seminário Estadual de Políticas Públicas, organizado pela Universidade Federal de Roraima. Foto: ONU Mulheres/Tamara Jurberg

Flávia Muniz, da ONU Mulheres Brasil, no I Seminário Estadual de Políticas Públicas, organizado pela Universidade Federal de Roraima. Foto: ONU Mulheres/Tamara Jurberg

Situação das mulheres, demandas sociais e capacidade de resposta das políticas públicas à igualdade de gênero estiveram em destaque em encontro acadêmico organizado pela Universidade Federal de Roraima, nos dias 27 e 28 de junho, em Boa Vista (RR).

O I Seminário de Políticas Públicas para Mulheres da Cidade, do Campo, das Florestas e das Águas de Roraima reuniu cerca de 250 pessoas. Foi organizado pela Coordenação de Políticas para Mulheres do Estado de Roraima e teve o apoio da ONU Mulheres Brasil e de outras instituições.

A ONU Mulheres colaborou com palestra sobre empoderamento econômico e participação política das mulheres refugiadas, migrantes e solicitantes de abrigo em Roraima. Uma das iniciativas concretas da ONU Mulheres Brasil no contexto da ação humanitária no estado é projeto Vamos Juntas!, desenvolvido no abrigo Rondon 1.

Cerca de 1.150 mulheres já foram beneficiadas pelas ações de empoderamento econômico desenvolvidas pela ONU Mulheres em Roraima. Parte dos produtos das mulheres participantes do projeto foram expostos e comercializados em feira de artesanato no evento.

Flávia Muniz, gerente de Empoderamento Econômico em Ação Humanitária da ONU Mulheres em Roraima, disse que uma das demandas das mulheres era por qualificação profissional. “Quando a gente dá a oportunidade para as mulheres se encontrarem e conversarem é impressionante as coisas que aparecem”, afirmou. Ela disse considerar que a articulação entre ação humanitária, direitos das mulheres e reconstrução de vidas passa por oportunidades com perspectiva de gênero, aquela que em que as mulheres são consideradas por suas especificidades e incentivo ao empoderamento.

Ação humanitária e gênero

O aumento do fluxo de cidadãos e cidadãs da Venezuela para o Brasil desencadeou novas demandas de atuação para a ONU Mulheres no Brasil. Pela primeira vez, a entidade participa de uma ação humanitária no país para apoiar as mulheres na sua retomada de vida por meio do empoderamento e da igualdade de gênero.

Para qualificar a resposta aos diversos desafios econômicos, políticos e sociais e ampliar o apoio às mulheres, a ONU Mulheres Brasil incorporou a perspectiva de gênero e empoderamento nas estratégias de programa no país, colaborando ativamente por meio da Plataforma de Coordenação Interagencial para Refugiados e Migrantes da Venezuela, liderada por Organização Internacional para as Migrações (OIM) e pela Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).


Comente

comentários