Em meio a violência em Israel e Palestina, ONU pede calma para evitar novo ‘derramamento de sangue’

Após ataques contra israelenses, retaliação já deixou diversos civis palestinos mortos, incluindo uma criança em Gaza. Secretário-geral da ONU pediu que partes deem fim a ciclo de violência.

Um menino palestino entre os escombros de uma casa destruída na cidade de Gaza. Foto: ONU (foto de arquivo)

Um menino palestino entre os escombros de uma casa destruída na cidade de Gaza. Foto: ONU (foto de arquivo)

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, afirmou nesta terça-feira (24) estar preocupado com a escalada da violência em Israel, Gaza e Cisjordânia. Ele condenou o assassinato de um civil israelense também na terça-feira como resultado de um ataque vino de Gaza, eo bombardeio de um ônibus perto de Tel Aviv no domingo (22).

Em um comunicado emitido por seu porta-voz nesta terça-feira (24), Ban também lamentou a morte de uma criança em Gaza após ataques de retaliação de Israel no mesmo dia, bem como a morte de diversos civis palestinas desde sexta-feira (20), também em decorrência de ataques de retaliação de Israel. “Ele estende suas mais profundas condolências às famílias das vítimas”, disse o comunicado.

“O secretário-geral rejeita todas as ações que tenham como alvo a população civil e convida todos os interessados ​​a exercer a máxima contenção para evitar outro ciclo de derramamento de sangue. Também é essencial preservar o cessar-fogo de novembro de 2012 e restaurar a calma”, disse o comunicado das Nações Unidas.

Secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon reafirmou compromisso com solução de dois Estados. Foto: ONU/Eskinder Debebe

Secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon reafirmou compromisso com solução de dois Estados. Foto: ONU/Eskinder Debebe

Ban Ki-moon destacou a necessidade de as partes palestina e israelense permanecerem “firmes em seu compromisso de alcançar a solução de dois Estados, a fim de acabar com a violência de forma permanente”.

Após um hiato de três anos, israelenses e palestinos retomaram as negociações diretas em agosto deste ano, graças aos esforços secretário de Estado dos EUA, John Kerry.

Funcionários de alto escalão das Nações Unidas, incluindo Ban Ki-moon, têm enfatizado a importância de dar uma chance renovada ao processo de paz, bem como pedido a ambos os lados que evitem ações que possam prejudicar os esforços para alcançar uma solução política para o conflito de décadas.