Em meio a pedido de cessar-fogo em Gaza, agência da ONU presta ajuda alimentar à população

Mesmo com relatos do rompimento de “pausa” humanitária, Programa Mundial de Alimentos da ONU está dando assistência alimentar à população mais necessitada.

Mesmo com relatos do rompimento de “pausa” humanitária, Programa Mundial de Alimentos da ONU está dando assistência alimentar à população mais necessitada.

Uma multidão se reúne em frente a uma residência destruída por bombardeios aéreos israelenses no sul da Faixa de Gaza, em 8 de julho. Foto: UNICEF/Eyad El Baba

Uma multidão se reúne em frente a uma residência destruída por bombardeios aéreos israelenses no sul da Faixa de Gaza, em 8 de julho. Foto: UNICEF/Eyad El Baba

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon felicitou nesta quinta-feira (17) a pausa humanitária em Gaza, que permitiu a distribuição de alimentos para milhares de pessoas. Ele mostrou ter esperanças de que essa trégua permita estabelecer uma calma mais duradoura.

Ban disse que o cessar-fogo temporário, negociado pelo coordenador especial da ONU para o Processo de Paz do Oriente Médio, Robert Serry, “permitiu que as pessoas retomassem suas rotinas diárias e começassem a reparar a infraestrutura elétrica e aquífera”, enquanto civis em Israel “tiveram uma pausa dos lançamentos de foguetes”.

As cinco horas estabelecidas para a pausa humanitária começaram às 10h da manhã, no horário local, e terminaram às 15h e, segundo relatos da mídia, sofreu apenas una pequena alteração com o lançamento de três projéteis de Gaza.

O chefe da ONU expressou sua apreciação pelo respeito quase integral de todas as partes ao cessar-fogo e adicionou que essa é uma mostra que o fim das hostilidades é possível caso todos “demonstrem a vontade necessária e coloquem os interesses dos civis, os quais têm sofrido as principais consequências dessa escalada”.

Ban indicou ser crucial responder aos fatores subjacentes que levaram a essa recente escalada de violência, citando temas de governança e a necessidade de integrar novamente a Faixa de Gaza dentro de um governo palestino legítimo.

O Programa Mundial de Alimentos da ONU (PMA) está distribuindo cupons de emergência em áreas onde lojas estão funcionando de forma a incentivar que as pessoas comprem comida, permitindo que o comércio local obtenha recursos em um momento em que os bancos se encontram fechados em Gaza.

Durante a pausa, a agência transportou comida, incluindo farinha de trigo, pão e latas de atum, para os seus armazéns, que estão prontos para distribuir alimentos para 85 mil pessoas nos próximos dias, se as condições de segurança permitirem.

“As necessidades de alimento na Faixa de Gaza são urgentes”, disse o diretor do PMA nos territórios palestinos, Pablo Recalde. “Estamos vendo a efetividade dos programas de assistência de alimentos do PMA, que fornece a oportunidade para uma resposta rápida e flexível para aumentar a ajuda emergencial, caso surja essa necessidade.”

Desde de que a última onda de combates começou, a agência da ONU forneceu rações de alimentos emergencialmente e cupons para mais de 20 mil pessoas deslocadas. O PMA pediu 20 milhões de dólares para continuar com os seus programas de assistência de alimentos para mais de 600 mil pessoas que se encontram em situação mais vulnerável na área.

Acompanhe a crise em www.onu.org.br/especial/gaza