Em Manaus, ONU inaugura centro de referência para refugiados e migrantes no domingo (16)

O Projeto CARE (Centro de Apoio e Referência a Refugiados e Migrantes) vai oferecer serviços de orientação jurídica, agendamento de solicitação de refúgio, acompanhamento psicológico, tradução de currículos, aulas de português e ligações internacionais gratuitas para os refugiados e migrantes que vivem na capital do Amazonas.

Cristina, Santiago e os filhos na porta de sua casa, em Manaus. Com o programa de transferência de renda, a família conseguiu se estabelecer na cidade. Foto: ACNUR/Luiz Fernando Godinho
Os venezuelanos Cristina, Santiago e os filhos na porta de sua casa, em Manaus. Com um programa de transferência de renda da União Europeia, a família conseguiu se estabelecer na cidade. Foto: ACNUR/Luiz Fernando Godinho

No próximo domingo (16), o Projeto CARE (Centro de Apoio e Referência a Refugiados e Migrantes) estará de portas abertas das 8h às 13h para sua inauguração oficial no Núcleo de Desenvolvimento de Manaus, no Amazonas. Durante toda a manhã, serão distribuídas 500 cestas básicas a famílias venezuelanas morando na capital. Os estrangeiros também terão acesso a atendimentos gratuitos de saúde e oficinas de grafite com o artista Raiz Campos.

Este projeto é uma realização da ADRA Brasil Regional Amazonas em parceria com a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), o Fundo de Populações das Nações Unidas (UNFPA), a União Europeia e a Prefeitura de Manaus. Os atendimentos no CARE serão feitos por diversos parceiros, como a Defensoria Pública da União (DPU), a Télécoms Sans Frontières, Cáritas Arquidiocesana de Manaus, Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania (SEMMASC), Departamento de Direitos Humanos (DDH), Polícia Federal, entre outros.

Ligações internacionais gratuitas, orientação jurídica, agendamento de solicitação de refúgio, acompanhamento psicológico, tradução de currículos e aulas de português serão alguns dos serviços disponíveis no CARE para atender, a partir do dia 17 de dezembro, a população de refugiados e migrantes que vivem em Manaus.

De acordo com a Polícia Federal, mais de 70 mil venezuelanos já solicitaram o reconhecimento da condição de refugiado no Brasil. Desses pedidos, 8 mil foram registrados em Manaus. Estima-se que 3 milhões de venezuelanos já tenham saído de seu país de origem desde 2015. No Brasil, as autoridades relatam a entrada de quase 200 mil venezuelanos em 2017 e 2018. Aproximadamente 100 mil já saíram do território, o que indica que em torno de 98 mil permanecem em solo brasileiro.

Arte e refúgio

Em atividade aberta ao público, solicitantes de refúgio e manauaras irão participar de oficinas de grafite com o artista Raiz Campos. A ação coletiva dará formas, cores e vida aos 210 metros quadrados da parte externa do muro do Centro de Referência. Durante toda a manhã, venezuelanos e manauaras estarão juntos dividindo experiências enquanto acontecem as outras atividades dento do CARE.

Um dia de saúde e beleza

Diversos especialistas se voluntariaram para atender refugiados e migrantes gratuitamente durante a abertura do projeto. Entre os serviços disponíveis, estão atendimento odontológico, check-up com profissionais de enfermagem, atendimento clínico, massagem, design de sobrancelhas e corte de cabelo.

Contato:
Fernando Borges – comunicacao.am@adra.org.br, +55 92 99329-0087
Victoria Hugueney – hugueney@unhcr.org, +55 61 3044-5722