Em lançamento do relatório da Comissão Nacional da Verdade, membros agradecem apoio da ONU

A parceria entre o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e a Comissão foi assinada em janeiro de 2013. O PNUD também apoiou a criação do portal Memórias da Ditadura, do Instituto Vladimir Herzog.

A presidenta Dilma Rousseff com os membros da CV em cerimônia em Brasília. Foto: Câmara dos Deputados/ Lucio Bernardo Jr.

A presidenta Dilma Rousseff com os membros da CV em cerimônia em Brasília. Foto: Câmara dos Deputados/ Lucio Bernardo Jr.

Em evento de apresentação do Relatório Final da Comissão Nacional da Verdade, realizado em Brasília, no Palácio do Planalto nesta quarta-feira (10), o coordenador da Comissão, Pedro Dallari, falou em nome dos membros e disse: “agradecemos ao PNUD que viabilizou a contratação dos consultores que deram vida a este relatório”.

A parceria entre o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e a Comissão foi assinada em janeiro de 2013. Dentre as ações promovidas pelo PNUD – além da contratação dos consultores – está a realização de um intercâmbio para a troca de informações entre a Comissão da Verdade e a Comissão de Anistia .

Durante os seus dois anos e sete meses de existência, a Comissão da Verdade produziu ao todo oito relatórios parciais e mais o Relatório Final, que é composto de três volumes totalizando 4.400 páginas. Dentre as principais recomendações do relatório, está a criação de um órgão público que dará seguimento as demais recomendações e sugestões da Comissão da Verdade e servirá como uma plataforma de apoio ao trabalho que ainda será executado.

Uma segunda cerimônia, aberta ao público, foi realizada da sede da OAB, em Brasília, também nesta quarta-feira (10). Cerca de 300 pessoas estiveram presentes no evento.

“O Relatório não representa o começo ou fim dessa investigação. Só foi possível o trabalho da Comissão da Verdade, porque antes de nós, muitos se dedicaram a fazer uma investigação muito objetiva”, disse Dallari, na ocasião.

O representante residente do PNUD e coordenador do Sistema ONU no Brasil, Jorge Chediek, leu a mensagem de Ban Ki-moon e complementou dizendo: “Gostaria de lembrar, brevemente, a honra que representou para o Sistema das Nações Unidas, especialmente, para o PNUD, colaborar com o trabalho da Comissão. Quero fazer um reconhecimento pessoal a cada um dos membros da Comissão. Conhecemos o sacrifício pessoal que esta missão representou para eles e reconhecemos a importância do trabalho que eles desenvolveram”.

Portal Memórias da Ditadura

O PNUD também apoiou a criação do portal Memórias da Ditadura. O portal foi desenvolvido pela Vlado Educação – Instituto Vladimir Herzog em resposta à demanda da Secretária de Direitos Humanos da Presidência da República e do PNUD. O objetivo é levar à população, especialmente ao jovem, a sombria história da Ditadura.

Para tanto, o portal apresenta informações sobre o período e os movimentos de resistência, por meio de conteúdos interativos, documentários, livros, mapas, depoimentos e uma área de apoio a educadores, com planos de aula, material didático e sugestões diversas sobre o ensino do tema. Acesse o portal aqui. 

Saiba mais sobre este assunto no site do PNUD, clicando aqui.


Comente

comentários