Em entrevista à Rádio ONU, representante do Brasil junto à Organização fala sobre a agenda pós-2015

“Essa agenda envolve mudança de comportamento em nível individual da comunidade, da região, do país e da sociedade internacional como um todo”, afirmou o embaixador Antonio Patriota.

Foto: FAO

Foto: FAO

As Missões Permanentes do Brasil e da Finlândia junto à ONU organizaram, esta quarta-feira (18), um painel sobre consumo e produção sustentáveis. O contexto é a criação da nova agenda global de desenvolvimento, que passa a valer no ano que vem.

O documento, conhecido como agenda pós-2015 está sendo produzido pelas Nações Unidas e países-membros com o objetivo de erradicar a pobreza. Após a reunião em Nova York, a Rádio ONU ouviu o embaixador do Brasil, Antonio Patriota, que explicou que os padrões de consumo geram consequências para os demais objetivos de desenvolvimento sustentável. O embaixador ressaltou a importância da participação de todos no processo.

“Essa agenda envolve mudança de comportamento em nível individual da comunidade, da região, do país e da sociedade internacional como um todo. Então não pode ser tratada como algo menos importante ou que vamos pensar nele amanhã. Não, tem que a partir de agora haver essa mudança de cultura, essa mudança comportamental. Não é uma coisa simples e vai exigir muita atividade aqui nas Nações Unidas e fora dela.”

Segundo Patriota, além dos governos, a sociedade civil e o setor privado precisam contribuir para a criação da agenda pós-2015. De acordo com as Nações Unidas, o consumo sustentável envolve o uso de serviços e de produtos que minimizam os impactos nos recursos naturais e utilizam menos materiais tóxicos. Assim, as emissões de poluentes e a degradação do meio ambiente são menores.

Para ler a matéria e ouvir a entrevista do embaixador, acesse http://goo.gl/gDknvt.