Em Doha, Conferência estimula parceria público-privada para combater cibercrime

Foto: ONU/Devra Berkowitz

Os esforços para domar o rápido crescimento da ameaça de crime cibernético foi centro das atenções no Congresso Crime das Nações Unidas, nesta sexta-feira (17) em Doha, no Catar. Na ocasião, um grupo diversificado de especialistas na área exortou fortes parcerias entre os setores público e privado para criar um cenário digital mais seguro.

“O cibercrime se tornou uma ameaça comprovada para a segurança dos Estados e indivíduos”, disse a chefe da divisão do crime organizado e tráfico ilícito do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), Loide Lungameni, em um evento de alto nível sobre o tema.

De acordo com o UNODC, as ameaças à segurança na Internet cresceram de forma extraordinária nos últimos anos. O cibercrime agora afeta mais de 431 milhões de adultos globalmente.

Cibercrime existe em muitas formas: ‘phishing’, que ludibria usuários a fornecer dados pessoas; a disseminação de ‘malware’, um programa que interrompe os sistemas de computador e armazenam dados pessoais e informação sensível; e o hacking, quando há invasão ilegal do computador de forma remota. A Internet também vem enfrentando problemas como a violação dos direitos autorais e propriedade intelectual, bem como a pornografia infantil.

Saiba mais sobre o Congresso deste ano em https://nacoesunidas.org/crime2015