Em Dia Mundial do Rádio, ONU celebra transmissões de eventos esportivos

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

O ano de 2018 será marcado por grandes eventos esportivos que têm a capacidade de unir corações e mentes de pessoas de todo o mundo. Levando isso em consideração, o tema para o Dia Mundial do Rádio 2018, lembrado em 13 de fevereiro, é “Rádio e Esportes”.

No Brasil, rádios, atletas, a representação da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e o Ministério dos Esportes se uniram na missão de mostrar a beleza dos esportes em toda a sua diversidade por meio da radiodifusão.

O ano de 2018 será marcado por grandes eventos esportivos que têm a capacidade de unir corações e mentes de pessoas de todo o mundo. Levando isso em consideração, o tema para o Dia Mundial do Rádio 2018, lembrado em 13 de fevereiro, é “Rádio e Esportes”.

No Brasil, rádios, atletas, a representação da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e o Ministério dos Esportes se uniram na missão de mostrar a beleza dos esportes em toda a sua diversidade por meio da radiodifusão.

Entrevistas para rádios, vídeos para as redes sociais, um site e divulgação intensa da data para a imprensa e nas redes sociais fazem parte das celebrações. O recordista mundial paralímpico de natação, Daniel Dias, juntamente com a jogadora de vôlei e Campeã pelo Esporte da UNESCO, Jackie Silva, foram convidados para participar das celebrações no Brasil. Eles gravaram vídeos que estão sendo compartilhados nas redes sociais.

O rádio é o meio de comunicação social com a maior audiência do mundo. Segundo a representante interina da UNESCO no Brasil, Marlova Jovchelovitch Noleto, o rádio é também uma poderosa ferramenta para transmitir o entusiasmo dos eventos esportivos, e com isso reforçar seus valores.

“O rádio pode ajudar a combater o racismo e a xenofobia que são, infelizmente, expressos dentro e fora do campo. Ele também nos oferece a oportunidade de estimular a diversidade como uma força de diálogo e tolerância”, afirma a representante.

O ministro do Esporte, Leonardo Picciani, defende o “esporte como fator de desenvolvimento humano”, e reforça o trabalho que o Brasil tem feito no esporte paralímpico, que é uma importante vertente de inclusão social.

Daniel Dias, em vídeo gravado para data, também ressalta este ponto dizendo: “as celebrações deste ano buscam falar dos esportes que não são tão populares na mídia, como por exemplo, o esporte paralímpico”. A cobertura de esportes tradicionais e daqueles que recebem menos atenção na mídia é um dos subtemas para a data.

Outro destaque das celebrações deste ano chama atenção para a sub-representação das mulheres na mídia esportiva. Atualmente, as mulheres representam somente 7% dos atletas que são vistos, ouvidos ou lidos na mídia. É para mudar essa realidade que “precisamos celebrar histórias inspiradoras que desafiam estereótipos de gênero”, como defende Jackie Silva.

Todas as estações de rádio e demais interessados no tema deste ano estão convidados a acessar o site oficial do Dia Mundial do Rádio, disponível nas seis línguas oficiais da ONU (espanhol, inglês, francês, árabe, russo e chinês), e registrar seus eventos, sejam entrevistas curtas, celebrações, programas de rádio – qualquer coisa que celebre o dia, formando um calendário internacional que é disponibilizado em um mapa interativo. O site também reúne artigos e entrevistas sobre os subtemas igualdade de gênero, diversidade e paz e desenvolvimento nos esportes, materiais multimídia e tópicos de discussão.

Há muitas maneiras de participar — cobrir uma diversidade de esportes e eventos relacionados aos subtemas do Dia Mundial do Rádio, trabalhar com associações esportivas locais para organizar um evento especial, criar conteúdo específico para a data, com entrevistas, vídeos, imagens, jingles e histórias, participar das conversas nas mídias sociais, seguir a hashtag #DiaMundialdoRádio, divulgar notícias sobre o dia e envolver seus influenciadores.

O Dia Mundial do Rádio é uma oportunidade anual de celebrar o rádio e a maneira como ele contribui com o debate democrático por meio de informação, entretenimento e interação com o público. A data foi proclamada pela Assembleia Geral da ONU em 2011. Desde então, é celebrado o Dia Mundial do Rádio no dia 13 de fevereiro, em homenagem à inauguração da Rádio das Nações Unidas, que aconteceu nesta data do ano de 1946.

Ano após ano, o Dia Mundial do Rádio tem crescido em reconhecimento e sucesso: as transmissões por meio de estações de rádio somam um potencial de audiência de até 800 milhões de pessoas; são mais de 140 mil visitas por ano ao website; a data tem sido assunto mundial do momento no Twitter pelos últimos quatro anos; e em 2017 contabilizou-se um total de 585 eventos em 110 países.

Em comunicado, o secretário-geral da ONU, António Guterres, lembrou que o rádio é o meio de comunicação social com maior audiência no mundo. “Numa era de grandes avanços tecnológicos, o rádio mantém o seu poder de comunicação, de entretenimento, de educação, de informação e de inspiração”, disse.

“O rádio é um fator de união e de reforço de comunidades de distinta natureza; e dá voz aos mais vulneráveis e marginalizados”, declarou. “No corrente ano, e no momento em que decorrem os Jogos Olímpicos de Inverno, há que reconhecer, também, o potencial das emissões desportivas como um vibrante veículo de aproximação”.

Leia também: Dez maneiras de celebrar o Dia Mundial do Rádio.


Mais notícias de:

Comente

comentários