Em Dia Internacional, UNICEF diz que prevenção salvou mais de 1 milhão de crianças de infecção de HIV

No Dia Mundial de Luta contra a AIDS, o UNICEF alertou que a meta global para reduzir 90% das novas infecções por HIV em crianças entre 2009 e 2015 ainda está fora de alcance.

Posha, que vive com com HIV, participou de um programa que forneceu os antirretrovirais para prevenir a transmissão do HIV de mãe para filho. Foto: UNICEF/NYHQ2013-1031/Marinovich

Posha, que vive com com HIV, participou de um programa que forneceu os antirretrovirais para prevenir a transmissão do HIV de mãe para filho. Foto: UNICEF/NYHQ2013-1031/Marinovich

Cerca de 1,1 milhão de infecções por HIV entre crianças e adolescentes com menos de 15 anos tem sido evitadas, mas as disparidades no acesso ao tratamento não permitem que esse número alcance a cifra global de redução de novas infecções em 90%, alertou o Fundo da ONU para a Infância (UNICEF), no Dia Mundial de Luta contra a AIDS, comemorado nesta segunda-feira (1).

“Devemos fechar as lacunas e investir mais para chegar a cada mãe, a cada recém-nascido e a toda criança e adolescente através dos programas de prevenção e tratamento do HIV que podem salvar e melhorar vidas”, disse o diretor executivo do UNICEF, Anthony Lake.

Estima-se que mais de 50% de novos casos de infecções pelo HIV diminuíram entre 2005 e 2013, como resultado da expansão do acesso ao tratamento, para prevenir a transmissão da mãe para o filho de milhões de mulheres grávidas que vivem com o HIV.

No entanto, o UNICEF alertou que a meta global para reduzir 90% das novas infecções por HIV em crianças entre 2009 e 2015 ainda está fora de alcance.

Em 2013, em países de baixa e média renda, os adultos são mais propensos a receber o tratamento anti-retroviral do que as crianças. Cerca de 37% das pessoas acima de 15 anos receberam tratamento, em comparação com apenas 23% das crianças entre 0 a 14 anos.