No Egito, secretário-geral da ONU pede aos líderes árabes fortalecimento da segurança da região

“Confesso minha raiva e minha vergonha. Raiva em observar o governo sírio, os grupos extremistas e os terroristas destruírem incansavelmente seu país”, disse Ban Ki-moon na abertura do evento.

Secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, na Cúpula dos Estados Árabes, em Sharm El-Sheikh, Egito. Foto: ONU/Evan Schneider

Secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, na Cúpula dos Estados Árabes, em Sharm El-Sheikh, Egito. Foto: ONU/Evan Schneider

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, esteve em Sharm e-Sheik, Egito, neste sábado (28), para participar da abertura do 26º Encontro de Cúpula da Liga Árabe. Durante o encontro, Ban pediu aos líderes árabes que reforcem a cooperação para beneficiar os povos da região e também a segurança global.

“Hoje, a guerra e a violência, atos repreensíveis de terrorismo e a ocupação israelense – aparentemente interminável na Palestina – estão causando enorme sofrimento na região“, disse.

Falando aos participantes da Cúpula, Ban disse: “Confesso minha raiva e minha vergonha. Raiva em observar o governo sírio, os grupos extremistas e os terroristas destruírem incansavelmente seu país”. Ele também afirmou sentir vergonha da incapacidade da comunidade internacional em agir para “parar a carnificina que tem afligido os irmãos e irmãs da Síria”.

Quanto à situação no Iêmen, Ban voltou a condenar as tentativas do grupo xiita hutis e do ex-presidente do país de minar acordos políticos usando a força militar, ressaltando a declaração do Conselho de Segurança que pede aos iemenitas que retornem “o mais rapidamente possível” ao processo político inclusivo.

Na sequência desta Cúpula em Sharm el-Sheik, Ban presidirá a Terceira Conferência Internacional de Ajuda Humanitária para a Síria, que acontece, a partir desta terça-feira (31), no Kuwait.