Em Conselho, agência da ONU aborda avanços para proteger o planeta de riscos nucleares

A central nuclear de Bushehr no Irã. Foto: AIEA/Paolo Contri

Apoiar o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU será uma prioridade para a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), afirmou seu diretor-geral, Yukiya Amano, nesta segunda-feira (07). Em um encontro na sede da organização, em Viena, foram abordadas as atualizações de salvaguardas nucleares no Irã, na Síria e na Coreia do Norte, bem como formas de usar a energia nuclear a favor de um planeta mais saudável.

Durante os cinco dias de encontro, os 35 membros do conselho, discutem medidas para fortalecer a cooperação em segurança, radiação, transporte e despejo nuclear. Na ocasião, o diretor-geral da AIEA expressou preocupação sobre o programa nuclear da Coreia do Norte. Segundo ele, a verificação do programa nuclear no país é limitada. Através de imagens via satélite, eles observaram atividades de construção no centro científico de pesquisa nuclear na província de Yongbyon.

O diretor expôs que o Irã vai aplicar o Protocolo Adicional ao seu acordo de salvaguardas com a AIEA. Para ele, a implementação desse protocolo é um passo essencial para a agência garantir a ausência de atividades nucleares não autorizadas no país. De acordo com o Amano, o conselho havia autorizado, em agosto, a fiscalização dos compromissos nucleares do Irã no âmbito do Plano Conjunto Integrado de Ação, acordado pelo grupo composto por China, França, Alemanha, Rússia, Reino Unido e Estados Unidos e Irã. Em relação à Síria, ele relata que insistiu que o país coopere com a agência nessas questões.

O papel da energia nuclear na Cúpula do Clima em dezembro também foi citado. “A energia nuclear é um dos mais baixos emissores de dióxido de carbono entre fontes de energia, considerando as emissões através de todo o ciclo de vida”, disse Amano.

Durante o evento, o diretor também apresentou o Relatório de Segurança Nuclear 2015 e incentivou a participação dos Estados-membros no Fórum Científico da AEIA, que ocorrerá na próxima semana e vai discutir a importância da aplicação industrial da tecnologia nuclear para o desenvolvimento. Ele também chamou atenção para o seu estudo sobre o acidente nuclear de Fukushima, ocorrido no Japão em 2011, que estará disponível na conferência da próxima semana.