Em Cancun, Secretário-Geral da ONU pede acordo nas negociações sobre mudanças climáticas

Secretário-Geral da ONU fez ontem (07/12) um apelo às delegações durante a Conferência das Nações Unidas para as Mudanças Climáticas (COP16), no México. Ban Ki-moon disse que mais atrasos nas negociações podem ameaçar a saúde do planeta, a economia global e o bem-estar da humanidade.

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, fez ontem (07/12) um apelo às delegações durante a Conferência das Nações Unidas para as Mudanças Climáticas (COP16), em Cancun, México. Ban disse que mais atrasos nas negociações podem ameaçar a saúde do planeta, a economia global e o bem-estar da humanidade. Ele demonstrou preocupação ao afirmar que, apesar de vários anos de negociações, os esforços feitos ainda “não estão à altura do desafio”.

Ban Ki-moon (no púlpito), Secretário-Geral da ONU, nesta terça-feira (07/12), durante abertura do segmento de Alto Nível da Conferência das Nações Unidas para as Mudanças Climáticas (COP16), em Cancun, México. Foto: ONU/Paulo Filgueiras.

Ban Ki-moon (no púlpito), Secretário-Geral da ONU, nesta terça-feira (07/12), durante abertura do segmento de Alto Nível da Conferência das Nações Unidas para as Mudanças Climáticas (COP16), em Cancun, México. Foto: ONU/Paulo Filgueiras.

Ele lembrou o alerta feito pelo Painel Intergovernamental para as Mudanças Climáticas (IPCC), que afirma que as emissões de gases que contribuem para o efeito estufa devem chegar ao auge na próxima década, antes de ter uma queda substancial, se o objetivo de limitar a média do aumento da temperatura para dois graus acima dos níveis pré-industriais for alcançado. O Secretário-Geral apontou que um acordo final sobre todos os assuntos pode não ser conseguido imediatamente, mas ressaltou que é preciso haver progresso em diversos pontos na Conferência de Cancun, aumentando a clareza sobre o futuro do Protocolo de Kyoto.

“A ciência adverte que a janela de oportunidades para prevenir o descontrole da mudança climática logo será fechada. O mundo, especialmente os países pobres e vulneráveis, não pode ser dar ao luxo de esperar por um acordo perfeito. Não podemos deixar que a perfeição seja inimiga do bem”, afirmou.

Ban destacou algumas iniciativas apoiadas pelas Nações Unidas para tratar das mudanças climáticas, entre elas o Programa Colaborativo das Nações Unidas para a Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação de Florestas em Países em Desenvolvimento (REDD), que procura criar incentivos para reverter o quadro do desmatamento e conservar os estoques de carbono das florestas, bem como a coalizão de entidades da ONU com os setores privado e público para alcançar acesso universal à energia e cortes significantes em gastos energéticos nas próximas duas décadas.

“Meu Grupo Consultivo de Alto Nível para Financiamento do Clima concluiu que é desafiador, mas possível, que países em desenvolvimento alcancem o objetivo de arrecadar 100 bilhões de dólares por ano até 2020 para apoiar ações climáticas em países desenvolvidos. Eu encorajo as partes da Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (UNFCCC) a usarem as conclusões do Grupo como matéria-prima para o financiamento de negociações sobre o clima”, declarou o Secretário-Geral.

Sobre mudanças climáticas e as metas de combate à pobreza conhecidas como Objetivos do Desenvolvimento do Milênio (ODM), Ban afirmou que a luta para a erradicação da pobreza e as questões sobre clima, energia, água e alimentos não devem ser vistos de forma isolada.

Em Cancun, o Secretário-Geral terá encontros com o Presidente do México, Felipe Calderón, com representantes da União Europeia, com o Grupo Africano e com o G-77 – Grupo dos 77 países em desenvolvimento, China e Estados Unidos.