Em Brasília, PNUD debate desafios da agricultura brasileira

Os obstáculos ao desenvolvimento do setor agrícola no Brasil foram tema de seminário realizado na terça-feira (12), em Brasília, no Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA). Com a participação do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), evento discutiu desafios nas áreas de crédito e seguro agrícolas, extensão rural, comércio internacional, sustentabilidade, migração e emprego no meio rural.

Produção de grãos no Paraná. Foto: ANPr / Jonas Oliveira

Produção de grãos no Paraná. Foto: ANPr / Jonas Oliveira

Os obstáculos ao desenvolvimento do setor agrícola no Brasil foram tema de seminário realizado na terça-feira (12), em Brasília, no Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA). Com a participação do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), evento discutiu desafios nas áreas de crédito e seguro agrícolas, extensão rural, comércio internacional, sustentabilidade, migração e emprego no meio rural.

Durante o encontro de especialistas, a agência da ONU apresentou estudos realizados recentemente por um projeto de cooperação com a Secretaria de Tesouro Nacional, em parceria com o IPEA. A pesquisa analisa os gargalos na agricultura brasileira e avalia políticas públicas em diversas áreas do agronegócio.

“Os estudos surgem em um momento adequado e oportuno, o início de um novo governo, e trazem subsídios importantes para a elaboração e construção de políticas públicas nos próximos quatro anos”, afirmou a representante-residente assistente do PNUD, Maristela Baioni.

Também presente, Eduardo Sampaio, secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), disse que melhorias no setor não são apenas bem-vindas, mas necessárias.

“A agricultura é o setor que mais dá certo na economia, mas a nossa visão é de que é preciso melhorar. A participação brasileira no mercado mundial está decrescente e decrescendo rápido. Estamos em um momento crucial de reformulação de apoio para a agricultura”, acrescentou o gestor.

O seminário também debateu avanços e entraves do setor agrícola nas áreas de propriedade intelectual, logística, armazenamento, biocombustíveis e previdência.

Os estudos do PNUD com a Secretaria de Tesouro Nacional e IPEA continuam em andamento. Uma primeira fase de análises foi utilizada para a formulação de um conjunto de relatórios. Agora, o projeto deve aprofundar a pesquisa nas áreas identificadas e debatidas no seminário.


Comente

comentários