Em Brasília, escritório de direitos humanos da ONU participa de atividades sobre prevenção da tortura

Representante adjunto para América do Sul do ACNUDH, Humberto Henderson, compareceu à solenidade de posse dos integrantes do Mecanismo Nacional de Prevenção e Combate à Tortura, entre outras atividades.

A ministra da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Ideli Salvatti, empossa peritos que vão compor o Mecanismo Nacional de Prevenção e Combate à Tortura. Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

A ministra da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Ideli Salvatti, empossa peritos que vão compor o Mecanismo Nacional de Prevenção e Combate à Tortura. Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

O representante adjunto para América do Sul do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH), Humberto Henderson, fez uma visita a Brasília no final de março para participar em atividades de direitos humanos.

Convidado pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, em nome do ACNUDH, Henderson compareceu à solenidade de posse dos integrantes do Mecanismo Nacional de Prevenção e Combate à Tortura, órgão de especialistas que devem realizar visitas para supervisionar e comprovar as condições de direitos humanos em lugares de detenção no país. O Mecanismo faz parte do Sistema Nacional de Prevenção e Combate à Tortura.

O representante do ACNUDH conduziu módulos de direitos humanos em um treinamento para integrantes do Ministério Público da União. Organizado pela UNESCO Brasil, o curso de dois dias tratou assuntos como os principais tratados de direitos humanos e outros padrões internacionais relevantes, focando principalmente nos direitos econômicos, sociais e culturais (DESC), além do combate ao trabalho infantil.

O especialista tambémn deu uma capacitação para integrantes do Sistema das Nações Unidas no Brasil sobre a incorporação de uma abordagem de direitos humanos em suas atividades, juntamente com a assessora em Direitos Humanos do Grupo das Nações Unidas para o Desenvolvimento para América Latina e Caribe (UNDG-LAC), Margarita Uprimny.