Em Bagdá, Guterres presta solidariedade ao Iraque

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Em visita a Bagdá e Erbil, António Guterres prestou solidariedade ao país que luta contra o terrorismo do Estado Islâmico do Iraque e do Levante (ISIL). Ele reiterou o apoio da ONU aos esforços do governo local para levar ajuda humanitária à população e pediu reconciliação para um futuro democrático e próspero.

Secretário-geral António Guterres recebe buquê de flores na chegada a Erbil, no Iraque – Foto: ONU

Secretário-geral António Guterres recebe buquê de flores na chegada a Erbil, no Iraque – Foto: ONU

No que chamou de “visita de solidariedade”, o secretário-geral da ONU, António Guterres, saudou nesta quinta-feira (30) o comprometimento dos líderes do país com a proteção civil e o diálogo nacional e assegurou o apoio das Nações Unidas para o envio de ajuda para a população necessitada e a reconstrução das instituições iraquianas.

“Esta é uma visita de solidariedade com o povo iraquiano, solidariedade com o governo e instituições iraquianas, solidariedade com o que eu acredito seja um momento histórico para o Iraque”, afirmou Guterres durante coletiva de imprensa em Bagdá com o primeiro-ministro, Haider al-Abadi.

Lembrando que o país está no estágio final da luta contra o terrorismo, o secretário-geral disse que a ONU está confiante que a libertação de Mossul do Estado Islâmico do Iraque e do Levante (ISIL) termine em breve.

“Ao mesmo tempo, fiquei muito motivado pelo comprometimento declarado pelo primeiro-ministro em relação à proteção dos civis, na condução das operações e no completo respeito pela lei internacional humanitária”, afirmou.

O secretário-geral informou que também há um comprometimento do líder iraquiano para o diálogo nacional e para um efetivo processo de reconciliação, que permitirá criar progressivamente condições para “uma vida normal de Estado, um Estado onde todas as comunidades se respeitem”.

Guterres reiterou o total apoio da ONU aos esforços do governo na ajuda humanitária à população afetada por terrorismo e apelou para que a comunidade internacional apoie o Iraque na ajuda às vítimas e na estabilização e reconstrução das instituições nacionais.

O secretário-geral e o primeiro-ministro disseram que é importante responsabilizar os autores dos crimes cometidos pelo grupo terrorista que atua no país.

“Estes crimes precisam ser punidos”, afirmou Guterres, enfatizando que é importante que a comunidade internacional conheça os terríveis sacrifícios sofridos pela população do Iraque – sunita, xiita, muçulmana e cristã –, vítima da crueldade do ISIL.

Expressando “total solidariedade e comprometimento em trabalhar junto com governo”, o secretário-geral disse que os líderes iraquianos têm a importante tarefa de libertar completamente o país e conseguir uma reconciliação entre os iraquianos “para um futuro democrático e próspero”.

Em Bagdá, Guterres também se encontrou com o presidente do Iraque, o ministro das Relações Exteriores e o porta-voz do Parlamento, antes de seguir para Erbil. Ele está na região desde segunda-feira (27) e já visitou a Jordânia e participou da Cúpula da Liga dos Países Árabes.


Comente

comentários