Em 2050, população com mais de 60 anos superará a com menos de 15

Secretário-geral da ONU pede mais esforços para apoiar idosos em todo o mundo. Com avanços na saúde, tecnologia e bem-estar, as pessoas estão vivendo mais.

Uma pessoa idosa alimenta pombos no Central Park, em Nova York. Foto ONU/Gaston Guarda

Uma pessoa idosa alimenta pombos no Central Park, em Nova York. Foto ONU/Gaston Guarda

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, pediu mais esforços para apoiar as necessidades dos idosos, especialmente em países em desenvolvimento.

“As pessoas em todo o mundo estão vivendo vidas mais longas, mais saudáveis, graças aos avanços na saúde e no bem-estar”, disse Ban em uma mensagem de vídeo para a abertura do 20º Congresso Mundial de Gerontologia e Geriatria, em Seul, na Coreia do Sul, neste domingo (23).

De acordo com o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), em 2050, 80% das pessoas mais velhas do mundo viverão em países em desenvolvimento, a população com mais de 60 anos de idade será maior do que a população com menos de 15.

Em um relatório de 2012, a agência da ONU entrevistou 1.300 homens e mulheres mais velhos de 36 países. As pessoas destacaram os desafios relacionados com a contínua discriminação, abuso e violência, ressaltando a necessidade de os governos, a sociedade civil e o público em geral trabalhar juntos para acabar com essas práticas destrutivas e investir em pessoas mais velhas.

O secretário-geral também pediu a implementação plena do Plano de Ação Internacional sobre o Envelhecimento de Madrid. O plano se concentra em três áreas prioritárias: pessoas idosas e desenvolvimento, promover a saúde e bem-estar na velhice e garantir ambientes de apoio a este segmento.