Ebola: ONU aprova contribuição de 4 milhões de dólares para reforçar operações na África Ocidental

O financiamento de emergência será alocado para o Serviço Aéreo Humanitário da ONU (UNHAS) e o Programa Mundial de Alimentos para a distribuição de suprimentos e envio de profissionais de saúde.

O PMA fornece alimentos para as comunidades em quarentena pela doença na Libéria. Foto: PMA/Frances Kennedy

O PMA fornece alimentos para as comunidades em quarentena pela doença na Libéria. Foto: PMA/Frances Kennedy

A subsecretária-geral para Assuntos Humanitários e coordenadora de Ajuda Humanitária da ONU, Valerie Amos, aprovou nesta quinta-feira (11) uma contribuição de emergência de quase 4 milhões de dólares para o Serviço Aéreo Humanitário da ONU (UNHAS), que deve apoiar as operações para combater o surto da doença na África Ocidental.

Devido às restrições para viagens comerciais nos países afetados pelo vírus, a resposta humanitária urgente na região tem sido severamente afetada, principalmente porque dificultou a viagem de profissionais de saúde e o envio de suprimentos às áreas mais críticas.  

Segundo Amos, 3,8 milhões de dólares serão alocados para o Fundo Central das Nações Unidas de Resposta de Emergência (CERF) para reforçar o UNHAS. Além disso, o financiamento também possibilitará que o Programa Mundial de Alimentos (PMA) leve trabalhadores humanitários, suprimentos médicos, equipamentos e outras cargas essenciais para os países afetados.

“UNHAS é um serviço vital de resposta ao vírus Ebola. As organizações não-governamentais, os funcionários da ONU e outros parceiros envolvidos serão capazes de usar o serviço para viajar e entregar suprimentos para as pessoas necessitadas. Os pilotos, a tripulação e pessoal de apoio são partes vitais da resposta”, disse o coordenador sênior da ONU para o vírus Ebola, David Nabarro, sobre o novo financiamento.