Ebola: Novo aplicativo deve acelerar resposta à epidemia em Guiné

Com o aplicativo móvel “CommCare”, os trabalhadores responsáveis pelo rastreamento de casos de ebola podem relatar em tempo real suas observações aos órgãos locais responsáveis para lidar com o surto e, assim, dar uma resposta mais rápida.

Trabalhadores são treinados para usar o aplicativo "CommCare" em Ratoma, Guiné. Foto: UNFPA Guiné

Trabalhadores são treinados para usar o aplicativo “CommCare” em Ratoma, Guiné. Foto: UNFPA Guiné

O Fundo de População da ONU (UNFPA) está implantando um aplicativo móvel para que o processo de rastreamento e de compartilhamento de informações de casos do ebola seja feito em tempo real. A rápida identificação de novos casos pode acelerar o processo de isolamento e o tratamento das pessoas que contraíram o ebola, ajudando no combate ao surto.

O processo anterior se dava através de formulários preenchidos manualmente e enviados posteriormente aos órgãos nacionais e internacionais responsáveis para lidar com a doença, método que se mostrou trabalhoso e demorado.

Com o aplicativo, o software “CommCare”, os trabalhadores podem enviar suas observações em tempo real, permitindo uma resposta mais rápida. Além disso, mesmo em áreas sem endereços formais, o aplicativo consegue enviar as localizações geográficas dos contatos, facilitando assim o acompanhamento mais rápido pelos profissionais de saúde.

O primeiro país a utilizar a ferramenta é Guiné, onde trabalhadores comunitários estão sendo treinados para usar o novo aplicativo e, assim, compartilhar informações críticas à Unidade de Coordenação Nacional do Guiné, órgão do Ministério da Saúde do país. A ONU planeja implantar o aplicativo também em Serra Leoa, país que teve o maior número de casos de ebola.