Ebola: Ban Ki-moon convoca reunião de alto nível em resposta à crise na África Ocidental

OMS divulgou uma nova atualização do número de casos do vírus Ebola e afirmou que a doença já alcança 4.269 pessoas em Guiné, Libéria e Serra Leoa. Na Nigéria, houve 21 casos e 8 mortes, e no Senegal, um caso foi confirmado.

ACNUR doou um caminhão para o Ministério de Assuntos Internos da Libéria para usar na luta contra o vírus Ebola. Foto: UNMIL

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, convocou uma reunião de alto nível que deve ser realizada durante a 69ª sessão da Assembleia Geral da ONU, que começa no próximo dia 24 de setembro.

O encontro pretende destacar as necessidades urgentes no combate ao surto do vírus Ebola na África Ocidental e exigir uma resposta dos governos, organizações não governamentais (ONGs), o setor privado e instituições acadêmicas sobre a situação.

Nesta semana, a Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou uma nova atualização do número de casos do vírus Ebola, com casos até 6 de setembro, e afirmou que a doença já alcança 4.269 pessoas em Guiné, Libéria e Serra Leoa. Na Nigéria, houve 21 casos e 8 mortes, e no Senegal, um caso foi confirmado.

Na ocasião, a OMS também alertou que milhares de novos casos estão sendo esperados na Libéria durantes as próximas três semanas e as intervenções convencionais para combater o surto não estão causando o impacto suficiente para o país.

A situação é particularmente grave na Libéria, onde a chefe da Missão da ONU neste país, Karin Landgren, disse ao Conselho de Segurança nesta terça-feira (09) que a propagação da doença tem acontecido “sem piedade”, infectando mais de 2 mil pessoas, entre elas 160 trabalhadores de saúde. Segundo Landgren, ao menos 1.200 pessoas morreram no país.

“A velocidade e a escala da perda de vidas, e as reverberações da crise estão afetando a Libéria profundamente”, disse a também representante especial do secretário-geral da ONU. “A enorme tarefa de lidar com o ebola tem revelado uma fraqueza institucional persistente e profunda, incluindo no setor de segurança. À medida que as demandas se acumulam, a polícia enfrenta um desafio monumental de planejar e implementar operações de larga escala”.

Na Libéria, o Programa Mundial de Alimentos da ONU (PMA) está fornecendo comida para centros que recebem pessoas suspeitas de terem contraído a doença. Até o momento, mais de 140 mil pessoas receberam assistência alimentar na Libéria e nos vizinhos Serra Leoa e Guiné.