‘É necessário uma pressão mais intensa para acabar com epidemia global de tuberculose’, diz Ban Ki-moon

O Secretário-Geral da ONU Ban Ki-moon pediu neste sábado (24/03), no Dia Mundial da Tuberculose (TB), um impulso maior para eliminar de uma vez por todas a segunda doença infecciosa que mais mata adultos depois do vírus HIV. Em 2010, quase 9 milhões de pessoas adoeceram com tuberculose e 1,4 milhão morreu, com 95% destas mortes ocorrendo em países em desenvolvimento.

“Peço pela intensificação da solidariedade global para garantir que todas as pessoas sejam livres do medo da tuberculose e dos seus efeitos devastadores”, disse Ban em sua mensagem para o dia. Observado anualmente em 24 de março, o Dia Mundial da Tuberculose aumentou a consciência sobre a epidemia global e os esforços para eliminar uma doença que o Secretário-Geral disse não receber atenção suficiente.

No início desta semana, a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Parceria ‘Pare a TB’ advertiram que a tuberculose na infância continua a ser ignorada, apesar da disponibilidade de tratamento. A doença muitas vezes não é diagnosticada em crianças menores de 15 anos de idade, porque eles não têm acesso aos serviços de saúde ou os trabalhadores de saúde não reconhecem os sinais e sintomas da TB nesta faixa etária.

De acordo com a Parceria Pare a TB, 200 crianças morrem de tuberculose por dia. No entanto, custa menos de 3 centavos por dia fornecer terapia que impede que as crianças adoeçam com TB e 50 centavos por dia para fornecer tratamento que cure a doença.

Ban Ki-moon destacou que cerca de 46 milhões de pessoas foram curadas e 7 milhões de vidas foram salvas desde 1995 graças aos esforços da ONU, governos, doadores, grupos da sociedade civil, parceiros privados, especialistas em saúde pública e dezenas de milhares de trabalhadores de saúde e famílias e comunidades afetadas.