É necessário repensar a urbanização no século 21, afirma diretor executivo do ONU-HABITAT

Para Joan Clos, “se continuarmos construindo cidades de forma antiquada, estaremos plantando sementes para crises contínuas – de mudanças climáticas, desenvolvimento retardado, falta de integração e dignidade”.

Campanha Urbana Mundial.

Um futuro sustentável depende da forma como os países planejarem, construírem e gerirem suas cidades nos dias de hoje, somada a uma boa administração do espaço urbano. A afirmação foi feita por um grupo de especialistas reunidos na sede da ONU em Nova York, em evento de lançamento da iniciativa “A cidade que precisamos”.

O diretor executivo do Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos (ONU-HABITAT), Joan Clos, afirmou que “precisamos de uma cidade mais inclusiva socialmente, uma cidade mais eficiente, mais bem organizada e resiliente, onde a dignidade de cada cidadão seja respeitada”.

Clos disse também que da participação de todos no debate sobre o espaço urbano é essencial uma vez que “se continuarmos construindo cidades de forma antiquada, estaremos plantando sementes para crises contínuas – de mudanças climáticas, desenvolvimento retardado, falta de integração e dignidade”.

A iniciativa “A cidade que precisamos” – uma parceira conjunta da sociedade civil e a ONU – faz parte das atividades preparatórias do  7º Fórum Urbano Mundial, que acontece em abril na cidade de Medellín, na Colômbia.