Durante pausa humanitária, UNICEF proporciona alívio e proteção para crianças em Gaza

Em 12 de agosto,Maria Calivis, diretora regional do UNICEF para o Oriente Médio e Norte da África, Ibtisam Abu-Shammala, oficial de Educação do UNICEF em Gaza, e Yoka Brandt, diretora executiva adjunta do UNICEF, participam de uma atividade de recreação para crianças deslocadas, na Escola Hasan Basri, em Gaza. Foto: UNICEF


A pausa estabelecida em Gaza, depois de quase um mês de confrontos, permitiu ao Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) levar ajuda humanitária essencial para as crianças no pequeno território palestino. A agência ressalta que uma paz sustentada é necessária para se chegar a outras centenas de milhares de crianças que precisam desesperadamente de apoio para reconstruir suas vidas. Nesta terça-feira, a frágil estabilidade no pequeno território foi novamente interrompida por novos enfrentamentos entre ambos os lados, segundo os relatos da mídia.

“Este conflito, que vem no topo de conflitos anteriores e aprofunda a pobreza, tem tido um impacto devastador sobre as crianças, que compõem metade da população de Gaza. Junto com nossos parceiros, estamos oferecendo cuidados e apoio essenciais, mas as necessidades das crianças são imensas e críticas”, disse a diretora executiva adjunta do UNICEF Yoka Brandt.

Brandt viajou para Gaza no último dia 12, juntamente com Maria Calivis, diretora regional do UNICEF para o Oriente Médio e Norte da África, e a representante do UNICEF June Kunugi, para se reunir com 16 funcionários do escritório do UNICEF em Gaza. Elas se encontraram ainda com crianças deslocadas e feridas em Gaza, e também conversaram com crianças em Sderot, no sul de Israel.
 
Brandt disse que o cessar-fogo permitiu equipes técnicas apoiadas pelo UNICEF a começar a reparar infraestruturas essenciais danificadas por ataques aéreos e bombardeios, incluindo aquedutos e sistemas de saneamento. Aproximadamente 110 mil pessoas receberam água potável e suprimentos de higiene, e os hospitais e centros de saúde foram reabastecidos com alguns medicamentos e suprimentos. Espaços amigos da criança seguros foram criados em seis abrigos para os desalojados, e cerca de 6 mil crianças que sofrem de profunda angústia receberam ajuda psicológica.

“O UNICEF, junto com nossos parceiros, está empenhado em alcançar o maior número de crianças possível com o apoio de que necessitam. E nós poderemos fazer isso se os trabalhadores humanitários obtiverem o espaço humanitário de que precisamos”, disse Calivis. “Somente em julho, mais de 4.500 crianças nasceram em Gaza. Para o bem dessas crianças, para o bem de todas as crianças, nós insistimos que todas as partes em conflito protejam as crianças de mais danos, e encontrem maneiras de alcançar uma paz duradoura – uma paz que proteja a infância”.

Mais de 450 crianças em Gaza foram mortas em ataques aéreos e bombardeios recentes; outras 2.900 crianças foram feridas e mais de 50 mil estão desabrigadas. O UNICEF está fazendo um apelo para arrecadar 13,7 milhões de dólares para chegar às crianças e suas famílias em Gaza. Até agora, menos de um quarto desses fundos foram recebidos.