Documentário ‘Iván’, sobre drama de apátrida no Brasil, será lançado em Brasília nesta quinta (26)

O filme conta a história de Iván Bojko, nascido na Ucrânia, mas sem nacionalidade até completar 90 anos, quando tornou-se brasileiro. Filme é parte da campanha #IBelong do ACNUR, criada para chamar a atenção para esta condição vivida por 10 milhões de pessoas no mundo.

12239494_10207631046911436_4481388789672449860_n

Estreia em Brasília o documentário brasileiro “Iván”, dirigido por Guto Pasko e que traz em sua proposta as temáticas do refúgio e apatridia, integrando-se à campanha global #IBelong, promovida pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR).

O documentário será lançado em Brasília nesta quinta-feira (26), no Espaço Itaú de Cinema, às 19hs. Após a sessão, haverá um debate junto ao público presente com o diretor do filme, Guto Pasko, com o representante interino do ACNUR no Brasil, Agni Castro-Pita, com o professor da UnB e representante do ObMigra, Leonardo Cavalcanti, e com o embaixador da Ucrânia, Rostyslav Tronenko.

O filme retrata de forma comovente o reencontro de Iván Bojko com seu país de origem, a Ucrânia, após 68 anos de exílio. Em 1942, Iván foi tirado à força de seu país pelos nazistas para fazer trabalhos forçados na Alemanha, onde permaneceu até 1945. Com o fim da Segunda Guerra Mundial, não pôde retornar à Ucrânia e veio para Brasil em 1948 como refugiado. Por não ter documentos que comprovassem sua origem, viveu como apátrida no país até os anos 90, quando adquiriu a nacionalidade brasileira.

Para retornar à Ucrânia, Iván viajou com um passaporte brasileiro. Em um dos seus depoimentos no documentário, reconhece o valor de ter uma nacionalidade. “O Brasil é uma terra que me deu segurança para o resto de minha vida, inclusive me deram a cidadania brasileira. Hoje sou cidadão brasileiro e espero já naquela terra descansar definitivamente”.

Para o diretor do filme, , Iván é um exemplo de superação diante as adversidades que marcam a trajetória dos apátridas pelo mundo. “Iván sofreu as duras consequências dessa situação pelos quais passam atualmente milhares de pessoas em todo o mundo. Mas Iván nunca perdeu a esperança na humanidade. Desejo que o filme Ivan sirva de inspiração para cada cidadão ainda apátrida desse planeta”.

A ONU estima que existam cerca de 10 milhões de apátridas no mundo. A campanha #IBelong do ACNUR pretende, nos próximos 10 anos, erradicar a apatridia – um limbo jurídico para milhões de pessoas que não têm nacionalidade reconhecida por nenhum país e vivem sem garantias de seus direitos humanos. A iniciativa foi lançada pelo ACNUR em novembro de 2014, no marco do 60º aniversário da Convenção de 1954 das ONU sobre o Estatuto dos Apátridas. Com a campanha, o ACNUR espera reunir 10 milhões de assinaturas na “carta aberta”, utilizando-a para demonstrar o apoio popular ao fim da apatridia. A Carta Aberta (em português) está disponível em www.unhcr.org/ibelong/carta-aberta.

Serviço:
Sessão especial do filme Iván
Quando: Quinta-feira (26)
Onde: Espaço Itaú de Cinema (Shopping CasaPark: SGCV, 3ª, Guará)
Horários: 19hs (exibição do filme Iván)
20h40 (debate com a presença do diretor do filme, Guto Pasko; com o representante interino do ACNUR no Brasil, Agni Castro-Pita; com o professor da UnB e representante do ObMigra, Leonardo Cavalcanti; e com o embaixador da Ucrânia, Rostyslav Tronenko.
Quanto: será cobrado meia-entrada de todos espectadores
Evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/861464590634759/

Iván na internet:
Facebook: www.facebook.com/ivanfilme
Instagram: @ivanfilme
Site oficial: ivanfilme.com

Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR)
Facebook: www.facebook.com/AcnurAmericas
Twitter: twitter.com/ACNURBrasil
Site oficial: www.acnur.org.br
Site da campanha #IBelong: www.unhcr.org/ibelong/carta-aberta