Doadores se comprometem a disponibilizar US$ 207 mi para fundo de população da ONU

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Doadores internacionais comprometeram-se neste mês a disponibilizar 207 milhões de dólares para o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA). Anúncio foi feito em 11 de julho, Dia Mundial da População, durante as atividades da Cúpula de Planejamento Reprodutivo, em Londres. Orçamento financiará ações da agência da ONU em mais de 150 países.

Mãe e filha em centro de saúde apoiado pelo UNFPA. Agência presta serviços de saúde reprodutiva, sexual, materna e neo-natal. Foto: UNFPA Namíbia/Emma Mbekele

Mãe e filha em centro de saúde apoiado pelo UNFPA. Agência presta serviços de saúde reprodutiva, sexual, materna e neo-natal. Foto: UNFPA Namíbia/Emma Mbekele

Doadores internacionais comprometeram-se neste mês a disponibilizar 207 milhões de dólares para o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA). Anúncio foi feito em 11 de julho, Dia Mundial da População, durante as atividades da Cúpula de Planejamento Reprodutivo, em Londres. Orçamento financiará ações da agência da ONU em mais de 150 países.

“Empoderar as mulheres e meninas adolescentes para que elas possam escolher se querem ou não ter filhos e quando tê-los, faz com que elas tomem decisões livres e com base em informações adequadas em todas as etapas se suas vidas”, defendeu a diretora-executiva em exercício do UNFPA, Natalia Kanem, no evento.

A Cúpula de Planejamento Reprodutivo reuniu líderes mundiais para discutir os esforços em andamento em prol do Planejamento Reprodutivo 2020 (FP2020) — documento com objetivos de saúde que preveem, por exemplo, a promoção do acesso a anticoncepcionais para mais de 120 milhões de mulheres e meninas até 2020. O evento também debateu iniciativas para o cumprimento das metas de saúde reprodutiva da Agenda 2030 da ONU.

Desde que o FP2020 foi acordado, há cinco anos, 30,2 milhões de mulheres obtiveram acesso ao planejamento reprodutivo voluntário. O estoque do UNFPA fornece mais de 40% dos contraceptivos doados em todo o mundo, alcançando quase 20 milhões de mulheres e jovens a cada ano. No entanto, 214 milhões de mulheres nos países em desenvolvimento ainda não têm contraceptivos modernos à sua disposição.

“O planejamento reprodutivo é um dos melhores investimentos que um país pode fazer pelo seu futuro”, acrescentou Natalia. A dirigente explicou ainda que, tomando decisões informadas e autônomas sobre ter ou não filhos, as mulheres jovens “podem ficar mais tempo na escola, conquistar uma graduação e integrar o mercado de trabalho; para, finalmente, contribuírem com a prosperidade de famílias, comunidades e nações”.

Apenas em 2016, os contraceptivos doados pelo UNFPA ajudaram a evitar aproximadamente 7,1 milhões de gestações não desejadas, 20 mil mortes maternas e 126 mil mortes infantis.

O estoque da agência da ONU, porém, registra um déficit de financiamento de cerca de 700 milhões de dólares para o período de 2017-2020. Sem verba adicional, o programa será obrigado a cortar serviços, o que reduzirá o número de mulheres e meninas beneficiadas.

Uso da verba

Do financiamento de 207 milhões acordado pelos parceiros do UNFPA, quase 133 milhões de dólares serão utilizados para tornar o orçamento da agência mais flexível, permitindo que o organismo torne seus investimentos mais eficazes e que as respostas a emergências sejam mais ágeis. Parte desse montante será usada para fornecer serviços de saúde sexual e reprodutiva a mulheres e meninas em situação de ajuda humanitária.

Um adicional de 74,1 milhões de dólares vai ser investido em suprimentos para programas do UNFPA que buscam ampliar o acesso a produtos de saúde reprodutiva.

Os fornecedores do UNFPA se comprometeram ainda em trabalhar de forma estreita com a Fundação Bill & Melinda Gates e com o Departamento de Desenvolvimento Internacional do Reino Unido (DFID) para implementar um mecanismo-ponte de financiamento. A iniciativa permitiria uma reserva de até 80 milhões de dólares que o abastecimento da agência da ONU poderia solicitar para dar entrada em pedidos de insumos em situações de urgência num país.

A reserva seria reabastecida quando o financiamento do doador comprometido fosse desembolsado ao longo do ano. Esse mecanismo aceleraria o processo de aquisição, diminuiria o custo dos insumos e reduziria em até 50% a falta de estoque de produtos adquiridos e administrados pelo UNFPA.


Mais notícias de:

Comente

comentários