Doações brasileiras ao Programa Mundial de Alimentos na Guatemala totalizam 3.200 toneladas

Espanha contribuiu na última remessa de 456 toneladas de arroz provenientes do Brasil, destinado a atender quase 11 mil famílias nos departamentos de Santa Rosa, Suchitepequez, Huehuetenango e Chimaltenango. Guatemala enfrenta dificuldades em decorrência da seca.

Mulher guatemalteca da região de Quiche, Guatemala. Foto: ONU/John Olsson

Mulher guatemalteca da região de Quiche, Guatemala. Foto: ONU/John Olsson

Os governos do Brasil e da Espanha doaram 456 toneladas de arroz para o governo da Guatemala por meio do Programa Mundial de Alimentos (PMA), informou na quinta-feira (9) a assessoria do PMA. Com a remessa, que se destina a famílias da área conhecida como ‘corredor seco’, Brasil totaliza 3.200 toneladas de alimentos doadas ao país nos últimos dois anos.

O objetivo é apoiar as famílias da área conhecida como “corredor seco”, que perderam colheitas e outros meios de subsistência após o último período da onda de calor prolongada.

“O PMA agradece por poder contar com o apoio do Brasil e da Espanha, e também com o governo da Guatemala, com quem trabalhamos lado a lado”, ressaltou o representante do PMA na Guatemala, Guy Gauvreau. “É importante lembrar que, além desta doação, os países também fizeram compras de milho e feijão de pequenos agricultores locais, fortalecendo também o mercado interno.”

O ministro da Agricultura, Pecuária e Alimentação, Elmer Lopez, também agradeceu o apoio dado pela comunidade internacional para combater a fome no país. Ele anunciou que a contribuição do Brasil e da Espanha superam 5 mil toneladas de alimentos, armazenados nos depósitos do Instituto Nacional de Comercialização Agrícola da Guatemala (INDECA) em todo o país.

O apoio alimentar se destina a quase 11 mil famílias nos departamentos de Santa Rosa, Suchitepequez, Huehuetenango e Chimaltenango.