Diretora-Geral da UNESCO condena assassinato do radialista brasileiro Valderlei Canuto Leandro

Aos 32 anos e conhecido por sua denúncia da corrupção, apresentador do programa ‘Sinal Verde’ na rádio Frontera foi morto a tiros por assaltantes não identificados na cidade de Tabatinga, no estado do Amazonas, segundo a imprensa local.

UNESCOA Diretora-Geral da UNESCO, Irina Bokova, condenou o assassinato do radialista brasileiro Valderlei Canuto Leandro, conhecido por sua denúncia da corrupção, no dia 1º de setembro.

“Eu condeno o assassinato de Valderlei Canuto Leandro”, disse a Diretora-Geral. “Esse crime deve ser investigado e os seus autores devem ser levados à justiça. A impunidade nesses casos não deve ser tolerada, pois enfraquece a democracia e o Estado de Direito.”

Valderlei Canuto Leandro, 32, apresentador do programa Sinal Verde na rádio Frontera, foi morto a tiros por assaltantes não identificados na cidade de Tabatinga, no estado do Amazonas, segundo a imprensa local.

De acordo com o Comitê para a Proteção dos Jornalistas, Canuto Leandro notificou o Ministério Público, em maio, sobre ameaças de morte que ele recebeu ligadas às suas investigações sobre casos de suspeita de corrupção.