Diretora Executiva da ONU Mulheres ainda vê dificuldades para igualdade de gênero no esporte

Mesmo com a maior participação feminina nos esportes, ainda há abusos e muita discriminação, afirma Michelle Bachelet.

Michelle Bachelet vê barreiras para a igualdade de gêneros no esporte

Em artigo publicado nesta quarta-feira (15), a Diretora Executiva da Entidade das Nações Unidas para Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres (ONU Mulheres), Michelle Bachelet, afirmou ver dificuldades para a equiparação de condições no esporte.

“As mulheres aspiram ao ouro, mas a igualdade de gênero continua a ser um desafio”, disse Bachelet. A participação feminina foi grande nos Jogos Olímpicos de Londres, onde 45% dos 10.500 integrantes eram mulheres. Nas Olimpíadas de Barcelona, em 1992, a porcentagem foi de apenas 25%.

No entanto, ainda há discriminação e abuso contra as mulheres no meio esportivo. A equipe de futebol masculino japonês, que não venceu nenhuma medalha, viajou na primeira classe no avião. A feminina, que ganhou a prata, viajou na classe turística. Em outro exemplo, ela lembra que a atleta de judô americana Kayla Harrison, medalhista de ouro em Londres, sofreu por três anos abuso sexual de seu primeiro treinador.

Além disso, as esportistas recebem menores salários que os homens e a liderança feminina nas instituições esportivas é muito escassa. Ativistas pedem que o Comitê Olímpico Internacional cumpra sua meta estabelecida em 1996 de garantir para as mulheres 20% dos postos nos conselhos diretivos dos 204 comitês olímpicos nacionais. Leia o artigo na íntegra clicando aqui.