Diretor-geral da OIT irá traçar principais desafios e políticas para emprego e crescimento na Cúpula do G20

Guy Ryder irá se concentrar em políticas que poderiam criar empregos decentes e ajudar os países do G20 a alcançar uma recuperação sustentável durante sua participação na Cúpula dos Líderes do G20, que acontecerá nos dias 15 e16 de novembro, em Brisbane, na Austrália.

Foto: divulgação/G20

Foto: divulgação/G20

O diretor-geral da Organização Internacional do Trabalho (OIT), Guy Ryder, irá se concentrar em políticas que poderiam criar empregos decentes e ajudar os países do G20 a alcançar uma recuperação sustentável durante sua participação na Cúpula dos Líderes do G20, que acontecerá nos dias 15 e16 de novembro, em Brisbane, na Austrália.

Com a economia global ainda se recuperando da crise financeira mundial, o desemprego continua a prejudicar muitos países. Em 2013, a lacuna entre a demanda e a oferta efetiva de emprego nos países do G20 era de cerca de 54 milhões, podendo continuar aumentando para mais de 60 milhões em 2018, a menos que as tendências atuais de crescimento melhorem significativamente.

Esta lacuna de empregos afeta desproporcionalmente os jovens e os trabalhadores em desvantagem. Em mais da metade dos países do G20, a percentagem de pessoas desempregadas em longo prazo no desemprego total aumentou, em alguns casos de maneira dramática.

Ao mesmo tempo, o crescimento dos salários tem ficado muito atrás do crescimento da produtividade na maioria dos países do G20, enquanto a desigualdade de salário e renda tem permanecido alta ou tem aumentado. Nas economias emergentes do G20, os altos níveis de subemprego e informalidade estão restringindo tanto a produção atual quanto a produtividade futura.

Os ministros de Emprego e Trabalho dos países do G20 afirmaram após sua reunião em Melbourne, em 10 e 11 de setembro, que havia uma necessidade de gerar centenas de milhões de empregos decentes capazes de tirar as famílias de trabalhadores da pobreza e impulsionar o desenvolvimento sustentável.

Eles também concordaram em recomendar aos líderes do G20 que adotem o objetivo de reduzir a atual lacuna entre homens e mulheres na participação no mercado de trabalho nas economias do G20 em 25% até 2025. Alcançar este objetivo significaria potencialmente incluir mais de 100 milhões de mulheres na força de trabalho.

A OIT apoia ativamente o G20 em seu papel de principal fórum para a cooperação econômica internacional. A pedido do G20, a Organização contribui dados, análises e recomendações de políticas sobre questões trabalhistas, econômicas e sociais a fim de fortalecer a economia global.

Dentro das limitações da programação do evento, o diretor-geral da OIT, Guy Ryder, estará disponível para entrevistas com a imprensa sobre essas e outras questões durante a Cúpula do G20.

Os jornalistas interessados devem entrar em contato com:
Marcia Poole, Diretora de Comunicação da OIT
E-mail: poole@ilo.org
Telefone: + 41-79-593 1530