Diretor-geral da FAO e presidenta do Brasil discutem novos passos para alcançar a fome zero mundial

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

O brasileiro José Graziano da Silva e Dilma Rousseff se encontraram em Roma, cidade-sede da FAO. Na ocasião, o diretor da FAO apresentou o relatório de investimentos e estratégias para acabar com a fome no planeta.

O diretor-geral da FAO, José Graziano da Silva, e a presidenta Dilma Rousseff analisam o mapa da fome. Foto: FAO

O diretor-geral da FAO, José Graziano da Silva, e a presidenta Dilma Rousseff analisam o mapa da fome. Foto: FAO

O diretor-geral da FAO, José Graziano da Silva, encontrou na sexta-feira (10) a presidenta Dilma Rousseff na Embaixada do Brasil em Roma, ocasião em que apresentou o relatório que estima o valor a ser investido para que a fome seja erradicada mundialmente até 2030.

De acordo com o documento, divulgado em uma coletiva de imprensa pela FAO, o Programa Mundial de Alimentos e o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) – as três agências da ONU que atuam em Roma –, são necessários nos próximos 15 anos o total de 267 bilhões de dólares por ano, ou 160 dólares anuais, por cada pessoa que ainda passa fome no planeta.

Graziano afirmou que a publicação usa uma abordagem muito semelhante ao modelo brasileiro, que combina a proteção social e investimentos focados nas populações mais pobres e vulneráveis.

Ambos concordaram que o gasto, embora elevado, deve ser encarado como um investimento, já que provê poder aquisitivo às pessoas mais pobres, o que aporta uma nova dinâmica à economia.

O diretor da FAO ainda parabenizou Rousseff pelos resultados positivos alcançados na VII Cúpula dos BRICS, em Ufá, cujo comunicado conjunto assinalou a cooperação da FAO com Brasil, Rússia, China, Índia e África do Sul. A presidenta, neste contexto, sugeriu a criação de um fórum dos BRICS para tratar de segurança alimentar e nutricional e da eliminação da pobreza.


Mais notícias de:

Comente

comentários