Dia Mundial do Refugiado tem ações de solidariedade e inclusão social em SP e Rio

O Dia Mundial do Refugiado, celebrado globalmente nesta quarta-feira (20), foi marcado por demonstrações de solidariedade em São Paulo e Rio de Janeiro. Na capital paulista, o dia teve entrega de corações a refugiados e facilitação de acesso a serviços de esporte e lazer. No Rio, atores reunidos com crianças refugiadas cantaram pela paz.

O sírio Armin Nachawaty, 25 anos, vende esfirras com a família no Rio de Janeiro, onde vivem como refugiados após fugirem do conflito na Síria. Foto: Agência Brasil/Fernando Frazão

O sírio Armin Nachawaty, 25 anos, vende esfirras com a família no Rio de Janeiro, onde vivem como refugiados após fugirem do conflito na Síria. Foto: Agência Brasil/Fernando Frazão

O Dia Mundial do Refugiado, celebrado globalmente nesta quarta-feira (20), foi marcado por demonstrações de solidariedade em São Paulo e Rio de Janeiro. Na capital paulista, o dia teve entrega de corações a refugiados e facilitação de acesso a serviços de esporte e lazer. No Rio, atores reunidos com crianças refugiadas cantaram pela paz.

A capital paulista também foi palco de uma cerimônia para o lançamento do programa “Clube Amigo do Refugiado” pelo prefeito Bruno Covas, pelo secretário municipal de Esportes e Lazer, Jorge Damião de Almeida, e pela chefe do escritório em São Paulo da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), Maria Beatriz Nogueira.

A iniciativa facilita o ingresso de refugiados e solicitantes de refúgio aos clubes esportivos administrados pela prefeitura, com a flexibilização dos documentos aceitos na inscrição.

O programa garante que o protocolo de solicitação de refúgio, por exemplo, seja considerado documento válido para que sejam elaboradas as carteirinhas de acesso aos clubes. O ACNUR irá assessorar projeto capacitando as equipes da secretaria, enquanto os clubes serão credenciados por adotarem procedimentos adequados e inclusivos.

Também em São Paulo, refugiados e organizações da sociedade civil receberam gestos de solidariedade por meio de corações confeccionados por brasileiros e doações de roupas, alimentos e brinquedos.

A ação fez parte da Campanha “Nosso Coração, Nosso Território”, da Associação Furkini, que aconteceu durante o lançamento do selo da 7° Campanha Ação do Coração, no Palácio dos Bandeirantes. O ACNUR foi representado pela chefe do escritório de São Paulo, Maria Beatriz Nogueira.

As demonstrações de solidariedade continuaram no Parque Lage, no Rio de Janeiro. Após o pôr-do-sol, crianças refugiadas fizeram uma homenagem aos entes queridos perdidos para as guerras, conflitos e perseguições em ritual da tradição japonesa, que homenageia os antepassados e pede paz.

Barquinhos com velas foram acesos e soltos na icônica piscina do pátio interno do parque, e logo depois houve apresentação do coral de “Coração Jolie”, da IKMR (I Know My Rights), ao lado de Elba Ramalho. Flávia Alessandra, Giulia Costa, Malu Mader, Thaila Ayala, Isabela Garcia, Julia Lemmertz e Cassia Kiss prestigiaram o evento e demonstraram solidariedade com os refugiados.

Também acontece nesta quarta-feira (20) o lançamento da exposição “Faces do Refúgio”, no Conjunto Nacional, na Avenida Paulista, em São Paulo. Às 19h será realizada uma roda de conversa entre o ACNUR e o sírio Salim Alnazer, com mediação da jornalista Patrícia de Campos Mello. A entrada é franca e não é necessário fazer inscrição prévia.

Para acompanhar a agenda completa das atividades em celebração ao Dia Mundial do Refugiado, acesse http://www.acnur.org.br/diadorefugiado/.

Sobre o Dia Mundial do Refugiado

Desde 2001, o Dia Mundial do Refugiado é celebrado do dia 20 de junho, de acordo com resolução aprovada pela Assembleia Geral das Nações Unidas. Para o ACNUR, a data é uma oportunidade de celebrar a coragem, a resistência e a força de todos os homens, mulheres e crianças forçados a deixar suas casas por causa de guerras, conflitos e perseguições. Estas pessoas deixam tudo para trás – exceto a esperança e o sonho de um futuro mais seguro.