Jovens são peça-chave no Dia Mundial do Doador de Sangue

Pessoas com menos de 25 anos contribuem com cerca de 38% do total de doações de sangue voluntárias no mundo. É o que revela um novo estudo da Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgado no Dia Mundual do Doador de Sangue, celebrado anualmente em 14 de junho. Entre as maiores necessidades estão a substituição do sangue perdido durante o parto – uma das principais causas de mortes maternas em todo o mundo – e o tratamento da anemia.

Dia Mundial do Doador de Sangue 2010Pessoas com menos de 25 anos contribuem com cerca de 38% do total de doações de sangue voluntárias no mundo. É o que revela um novo estudo da Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgado no Dia Mundual do Doador de Sangue, celebrado anualmente em 14 de junho para destacar a contribuição voluntária e não remunerada dos doadores de sangue para a saúde pública.

“Sangue novo para o mundo”, diz o slogan desse ano, que pretende chamar atenção para o papel decisivo dos jovens em manter suprimentos de sangue saudável. Segundo Carissa Etienne, Diretora-Geral Assistente para Sistemas e Serviços de Saúde na OMS, essa é a primeira vez que há dados para as doações de sangue por idade. “É importante ver que em muitos países vários jovens já estão doando sangue. Países podem usar isso para encorajar mais joves a se tornarem doadores”, declarou Etienne.

De acordo com a Pesquisa de Segurança do Sangue de 2008, 14 países tem mais da metade do seu total de doações provenientes de pessoas com menos de 25 anos: Botsuana, Burkina Fasso, Gabão, Guiné, Índia, Jordânia, Kiribati, Laos, Malauí, Papua Nova Guiné, Tuvalu, Vietnã e Zimbábue. Os limites normais para a doação de sangue são de 18 e 65 anos, mas em alguns países são aceitas doações de pessoas a partir dos 16 anos, desde que com consentimento dos pais. “Os jovens são a esperança e o futuro de um fornecimento de sangue saudável no mundo”, afirmou o Coordenador de Segurança de Transfusão de Sangue, Dr. Neelam Dhinagra.

Atualmente, 62 países obtem todo ou quase todo (mais de 99%) o suprimento de sangue de doadores não remunerados, número que conta com cinco nações a mais que no ano passado. Belarus, Irã, Quênia, Malásia e Zâmbia foram os últimos a entrar para a lista. A OMS estabeleceu que a quantidade geralmente suficiente para atender às necessidades básicas do banco de sangue de um país é de pelo menos 1% da população. Entre as maiores necessidades estão a substituição do sangue perdido durante o parto – uma das principais causas de mortes maternas em todo o mundo – e o tratamento da anemia.

Em maio deste ano, os Estados-Membros da OMS assinaram uma resolução sobre a disponibilidade, a qualidade e a segurança dos produtos derivados de sangue. A ideia é aumentar o acesso seguro a transfusões e produtos derivados de sangue nos países em desenvolvimento, além de ecoar a Declaração de Melbourne, divulgada no Dia Mundial do Doador de Sangue de 2009, que pede aos países para atingir 100% de doação de sangue voluntária e não-remunerada até 2020.

Neste ano, os eventos internacionais do Dia Mundial do Doador de Sangue estão acontecendo em Barcelona (Espanha) e na Expo 2010, em Xangai (China).