Dia Mundial de Luta contra a Malária – 25 de abril de 2012

Mensagem do Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon.

No ano passado, neste mesmo Dia Mundial de Luta contra a Malária, lamentávamos o fato de que a cada 45 segundos uma criança morresse desta doença. Este ano, conseguimos fazer diminuir o ritmo do relógio. A cada minuto uma criança morre de malária, o que continua sendo uma enorme tragédia, mas podemos ter alguma esperança das muitas vidas salvas através das intervenções da comunidade internacional.

Mais crianças dormem em segurança sob mosquiteiros, mais famílias se reúnem em salas protegidas de mosquitos, mais comunidades têm acesso ao exame médico e mais doentes recebem os medicamentos que precisam para se recuperar.

Uma coligação global fez avançar a implementação de estratégias já conhecidas como eficazes, tais como redes tratadas com inseticidas, uso de aerossóis inseticidas no interior das casas, testes de diagnósticos rápidos e medicamentos antimalária para populações em risco.

Graças a esta parceria notável, que reuniu governos, agências internacionais, doadores, pesquisadores, corporações, filantropos e um vasto leque de organizações da sociedade civil e indivíduos preocupados com este flagelo. Os seus esforços salvaram mais de um milhão de vidas. Desde 2000, as taxas de mortalidade da malária caíram mais de um quarto globalmente e mais de um terço na África.

Está na hora de trabalhar para fazer maiores progressos. Alcançar taxas de mortalidade cerca de zero é uma das prioridades fundamentais da agenda de ação que defini para os próximos cinco anos.

Em nosso mundo de abundância não há desculpas para não fazer investimentos razoáveis e acessíveis nas intervenções antimalária. Um teste de diagnóstico rápido custa cerca de 50 centavos de dólar e as doses mínimas de tratamento custam apenas um dólar americano. Um mosquiteiro que dura três anos e que pode proteger várias crianças custa cerca de cinco dólares.

Estas são somas modestas e podemos reduzir ainda mais os custos se financiarmos a pesquisa para encontrar melhores soluções. Embora procuremos prevenir as mortes por malária no presente, devemos investir na nova geração de tratamentos antimalária para combater a crescente resistência do parasita e continuar trabalhando para conseguir uma vacina. Precisamos coordenar melhor nossos esforços para testar, tratar e monitorar esta doença.

Neste Dia Mundial de Luta contra a Malária, vamos apelar para suprir a falta de cerca de 3,2 bilhões de dólares de financiamento para alcançar e manter os cuidados universais antimalária na África até 2015 – e para alcançar o nosso objetivo de derrotar esta doença.

_____________________________
Saiba mais sobre a malária em www.malariaenvoy.com. Imagem: Esforços para o controle da malária aumentaram, mas o tratamento preventivo e assistencial em comunidades ainda é necessário. O número de redes mosquiteiras tratadas com inseticidas produzidas em todo o mundo saltou de 30 milhões em 2004 para 95 milhões em 2007. Nesta foto, uma menina descansa sob um mosquiteiro tratado com inseticida, na aldeia de Karo Duss, na Região das Nações, Nacionalidades e Povos do Sul (SNNPR). Foto: UNICEF/NYHQ2005-1286/Indrias Getachew.