Dia Mundial da Saúde – 7 de abril de 2012

Mensagem do Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon.

No dia 7 de abril de cada ano celebramos o Dia Mundial da Saúde para comemorar o aniversário da criação da Organização Mundial da Saúde, em 1948. O tema deste ano é “A boa saúde aumenta a longevidade”, transmite uma mensagem importante: fomentar a boa saúde durante toda a vida contribui para que as pessoas tenham maior probabilidade de se manterem saudáveis e produtivas e alcançarem uma idade mais avançada.

Em meados do século passado, existiam apenas 14 milhões de pessoas com idade superior a 80 anos em todo o mundo. Em 2050, quase 400 milhões de pessoas estarão nesta faixa etária, e só na China serão 100 milhões. Brevemente, e pela primeira vez na história, haverá em todo o mundo mais adultos com idades superiores a 65 anos do que crianças com idades inferiores a 5 anos de idade.

Esta forte alteração na idade da população mundial está relacionada com o desenvolvimento econômico e social. Devido especialmente aos avanços alcançados na saúde pública em nível mundial, na melhoria da sobrevivência infantil e na saúde dos adultos, as pessoas vivem mais anos em quase todo o mundo.

Em muitos países que têm altos rendimentos, já se registram populações mais velhas. Nas próximas décadas, os países com médios e baixos rendimentos irão enfrentar, de igual forma, um acentuado envelhecimento de suas populações.

O aumento da longevidade é um motivo de celebração e é algo a que todos aspiramos. As pessoas mais velhas dão valiosas contribuições para a sociedade – como membros de suas famílias, como participantes ativas na força de trabalho e como voluntários nas comunidades. A sabedoria que adquiriram com o passar dos anos faz delas recursos únicos para a sociedade.

No entanto, uma população mais velha significa um aumento na procura dos sistemas de segurança social e no cuidado com a saúde. Na atualidade, as doenças não transmissíveis constituem, claramente, a maior ameaça para a saúde das pessoas com idades mais avançadas em todos os países. As doenças cardíacas e os acidentes cardiovasculares são as principais causas de morte, enquanto que os problemas visuais e a demência são as principais causas de incapacidade. A incidência destas doenças nas pessoas de idade mais avançada é cerca de duas a três vezes maior nos países que apresentam baixos rendimentos do que nos países com rendimentos elevados. Isto pressupõe uma carga não só para pessoas mais velhas, mas também para as suas famílias e para a sociedade como um todo.

Muitos países com baixos e médios rendimentos carecem de infra-estruturas e de recursos necessários para atender as necessidades existentes, muito menos para fazerem face as exigências do futuro, que serão muito superiores. A boa notícia é que existem várias soluções práticas e acessíveis para que os governos possam ajudar os seus cidadãos de idade mais avançada a alcançarem uma vida saudável e produtiva. Além disso, os países que investem na saúde podem esperar um significativo retorno econômico e social para toda a comunidade.

Neste Dia Mundial da Saúde, insisto que os governos, a sociedade civil e o setor privado dediquem atenção e recursos para assegurar que em todas as partes as pessoas tenham a possibilidade de envelhecer em bom estado de saúde.