Dia Mundial da Ciência pela Paz e pelo Desenvolvimento – 10 de novembro de 2011

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

“Que tipo de sociedade precisamos para um futuro sustentável? Essa é a pergunta que a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável deve responder, no Rio de Janeiro, ano que vem – na Rio+20. A ciência está no cerne da resposta.” Mensagem de Irina Bokova, Diretora-Geral da UNESCO.

Dia Mundial da Ciência pela Paz e pelo DesenvolvimentoMensagem de Irina Bokova, Diretora-Geral da UNESCO, por ocasião do Dia Mundial da Ciência pela Paz e pelo Desenvolvimento, 10 de novembro de 2011.

Que tipo de sociedade precisamos para um futuro sustentável?

Essa pergunta é feita todos os dias por um mundo que muda rapidamente. Desastres naturais nos lembram da vulnerabilidade das nossas comunidades. A mudança climática afeta nossas sociedades. A perda da biodiversidade cresce a taxa inédita na história geológica, especialmente devido às atividades antrópicas. As pressões da crise econômica global aumentam.

Essa é a pergunta que a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável deve responder, no Rio de Janeiro, ano que vem – na Rio+20.

A ciência está no cerne da resposta. Ela é parte integrante do mapa que a UNESCO trará ao Rio para aproveitar ao máximo o poder transformador da educação, das ciências, da cultura e dos meios de comunicação. Nossa posição é clara – para um futuro sustentável, devemos construir “sociedades verdes” inclusivas e equitativas, bem como economias verdes”. Ambas devem estar juntas. Essa é a nossa mensagem para o Dia Internacional da Ciência para a Paz e o Desenvolvimento 2011, que tem como tema: “Rumo às sociedades verdes: equidade, inclusão e participação.”

Sociedades verdes devem ser sociedades de conhecimento, que utilizam a ciência para identificar os desafios emergentes e reagir de maneiras inovadoras. Para isso, a ciência deve estar mobilizada e deve ser mais inclusiva.

Essas metas guiam a UNESCO em todas as suas ações. Trabalhamos com os países para capacitar nas áreas de ciência, tecnologia e engenharia e criar redes internacionais. Cooperamos com governos no mundo todo, especialmente na África, para fortalecer estruturas políticas nacionais para a ciência, tecnologia e inovação. Lideramos a comunidade internacional nas ciências marinhas e de água doce, por meio das contribuições únicas da nossa Comissão Oceanográfica Intergovernamental e do Programa Hidrológico Internacional da UNESCO.

As sociedades verdes devem ser inclusivas. Devemos usar todas as vozes e fontes de experiência, inclusive o conhecimento local e indígena. A UNESCO trabalha para fortalecer mulheres e meninas na criação de conhecimento científico. Lideramos a Década das Nações Unidas da Educação para o Desenvolvimento Sustentável (2005-2014) para estimular as atitudes e os comportamentos necessários para uma nova cultura de sustentabilidade. Os Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento são foco especial de nosso trabalho. Estamos dedicados a capturar o conhecimento da Rede Mundial de Reservas da Biosfera da UNESCO e os nossos Patrimônios Mundiais. Devemos identificar os elos entre diversidade biológica e cultural e ampliá-los.

Devemos criar uma sociedade mais verde no nível global também. Isso requer a democratização da criação e as vitórias da ciência para o benefício de todos. Isso quer dizer atacar as disparidades que existem entre os países no desenvolvimento e no uso de conhecimento científico.

A UNESCO levará isso tudo à Rio +20. O ano de 2012 deve representar uma conjuntura decisiva em direção a sociedades verdes, construídas no desenvolvimento inclusivo e equitativo de ciência para o benefício de todos. Essa é a nossa mensagem para o Dia Internacional de Ciência para a Paz e o desenvolvimento.

(Saiba mais sobre o Dia clicando aqui)


Comente

comentários