Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto é celebrado no Rio de Janeiro

O Centro de Informações das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio), em parceria com a Federação Israelita do Estado do Rio de Janeiro (FIERJ), organizou no dia 25 de janeiro de 2008, um evento para comemorar o Dia Internacional em Memórias das Vítimas do Holocausto.

Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto é celebrado no Rio de JaneiroO Centro de Informações das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio), em parceria com a Federação Israelita do Estado do Rio de Janeiro (FIERJ), organizou no dia 25 de janeiro de 2008, um evento para comemorar o Dia Internacional em Memórias das Vítimas do Holocausto.

O evento deste ano – o terceiro organizado pelo UNIC Rio para a data contou com a presença do Presidente do Brasil, Luís Inácio Lula da Silva, que acompanhado pela Primeira Dama, encerrou a cerimônia. Entre as diversas autoridades presentes, encontravam-se o Secretário Especial dos Direitos Humanos, Ministro Paulo Vannuchi, o Governador do Estado do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral Filho, e o Governador do Estado da Bahia, Jaques Wagner. Os embaixadores dos Estados Unidos da América e de Israel, líderes religiosos, representantes de outros povos que também sofreram durante o Holocausto, ONGs, o corpo consular e artistas também estiveram entre o público da cerimônia, que aconteceu no Palácio Itamaraty, onde o escritório do UNIC Rio está localizado.

O diretor do UNIC Rio abriu a cerimôniaO Diretor do Centro, Giancarlo Summa, abriu a cerimônia, destacando em seu discurso a importância da data e agradecendo ao Presidente do Brasil e ao povo brasileiro pela tradição do país em receber aqueles que necessitam deixar suas pátrias. “Houve um tempo em que quem chegava aqui eram mulheres e homens escapando da barbárie nazi-fascista na Europa. Hoje, são refugiados de Angola, Colômbia, Palestina, fugindo de atrocidades que cobriram suas terras natais com sangue”, disse. “O Brasil, este grande e belo país, é um exemplo de como pessoas diferentes, com etnias e religiões distintas, podem viver juntas de maneira harmoniosa”.

Durante o discurso de encerramento, o Presidente Lula afirmou que “o Holocausto precisa ser lembrado por nós, por nossos filhos e pelos filhos de nossos filhos com indignação”, e que, “se fosse possível, o Presidente da República bateria na porta de cada brasileiro, para pedir por tolerância e para que a violência seja deixada lado”. Na oportunidade, o Presidente lançou uma campanha de direitos humanos para 2008, para coincidir com o sexagésimo aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos. “Um dos propósitos do governo na área de direitos humanos é promover uma reflexão de toda a sociedade, com o envolvimento de três importantes setores: a universidade, o judiciário e os meios de comunicação”, afirmou.